Fórum promove debate sobre plano de turismo

Prudente

| GABRIEL BUOSI - Da Redação

Com a intenção de compartilhar diagnósticos e levantar projetos para a elaboração do Plano Diretor de Turismo, em Presidente Prudente, ocorreu na noite de ontem, no Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), o Fórum de Desenvolvimento do Turismo. O evento visou apresentar aos gestores e profissionais as perspectivas do potencial da cidade e propor diretrizes de desenvolvimento ao setor.

No encontro regional sobre o tema, em junho do ano passado, foi anunciado o início das atividades para a elaboração de um Plano Diretor de Turismo, que tiveram as ações apresentadas e discutidas ontem. Empresários, comunidade, associações e profissionais do setor participaram, dialogaram e expuseram formas de validar e propor o crescimento do município. O gestor na área de desenvolvimento social e regionalização do turismo do Senac em São Paulo, Jorge Silveira Duarte, mediou o encontro e afirma que tais medidas são fundamentais para que as ideias não fiquem apenas no papel. “Após pesquisas, contatamos que Presidente Prudente é uma cidade que recebe muitos turistas a trabalho. Queremos mostrar que o lazer também pode ser explorado aqui”, comenta.

O levantamento mostra, por exemplo, que o perfil dos visitantes é composto por 40% de pessoas entre 30 e 45 anos, com 57% de vindas nos finais de semana, sendo que apenas 72% permanece hospedado na cidade. Com isso, o debate proporcionou a abordagem dos critérios considerados pelo Conselho de Orientação e Controle para analisar e aprovar recursos destinados ao Fundo dos Municípios Turísticos.

Ao ser questionado sobre os pontos fortes de Presidente Prudente e que podem ser explorados por visitantes, Jorge se lembra do Parque do Povo, Sesc Thermas e Centro Cultural Matarazzo, mas afirma que um trabalho interno precisa ser pensado. “Antes de atingir a população de fora, precisamos chegar aos moradores locais e mostrar para eles o que há disponível, já que os munícipes são os maiores propagadores das atividades da cidade”, expõe.

Já sobre o turismo regional, o especialista afirma que o oeste paulista é pouco conhecido no âmbito estadual e diz que dentre as causas do desconhecimento, inclusive de Presidente Prudente, está, por exemplo, a desunião dos municípios. “É neste momento que mostramos aos gestores a necessidade de se pensar em estratégias e praticar de fato a mudança. Ela não precisa ser individual, trabalhos em conjunto podem ser elaborados”.

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste