Fé e adoração são recursos para melhor lidar com as dificuldades   

  • 21/04/2019 06:10

A todo o momento, a sociedade está cercada de fatos ruins registrados em diversas localidades em âmbito regional, nacional e mundial. Vamos tomar como exemplo o começo de 2019 que, desde então, está sendo marcado como “o ano das tragédias”. Rompimento de barragem em Brumadinho, incêndio no CT do Flamengo, o massacre na escola de Suzano, ciclone em Moçambique, assassinato do músico Evaldo dos Santos e Rio de Janeiro devastado pela chuva. Realmente, os primeiros meses não têm sido fáceis, e a positividade de muitos está sendo colocada em jogo. Em meio a tantos fatos, cada um lida com as preocupações do cotidiano de uma maneira diferente e, dentre a mais comum e cultural está a religião.

Seja ela qual for, apegar-se a uma força divina permite a sensação de tranquilidade, o que reforça o sentido de se manter forte para encarar os desafios a que somos colocados. Na edição de ontem do jornal O Imparcial, noticiamos que a adoração é muito forte na comunidade, quando apresentamos histórias de fé que resultaram em agradecimentos a Santo Expedito. Como manda a tradição, sexta-feira, foi celebrado o dia da santidade, conhecida como santo dos aflitos e desesperados. No município que recebe o mesmo nome do consagrado, a expectativa era de que até 50 mil católicos passassem pelo local até neste domingo para acompanhar as festividades e, por vezes, levar agradecimentos e pedidos em forma de sacrifícios.

No caminho ao ponto de encontro dos religiosos, detalhes como ver fiéis descalços em pleno sol de 31ºC, outros cobrindo a cabeça com panos para se proteger, alguns mancando por talvez estar no limite do esforço físico ou o choro que escorre pela face,  da emoção de viver aquele momento, foram situações observadas pela reportagem, e que não puderam passar despercebidas.

Diante das fraquezas que estão ao redor, o ser humano necessita crer na existência de uma força maior para compartilhar as dores, e não permitir que o sofrimento tome conta do dia a dia. E essa busca pela paz interior pode surgir de diferentes religiões, diversas maneiras e de modos a que se sinta confortável. Dentro destas ações, o mais importante, acima da própria fé, é o agradecimento pela vida e objetivos alcançados. E não esquecer que não estamos sozinhos nesta jornada que, ao final, trará sempre boas conquistas.