COTIDIANO

Falta de empatia pode prejudicar pessoas que sofrem de depressão

  • 18/04/2019 04:00

A sociedade precisa entender de uma vez por todas que a depressão não é frescura, muito menos oportunidade para ganhar destaque. “Depressão é coisa de quem quer chamar a atenção”; “Depressivo? Que nada! Isso é preguiça, ingratidão, corpo mole”. Só quem passa por esta situação entende o quão difícil é dar o pontapé inicial para procurar ajuda. Em muitas vezes, é necessário apelar às redes sociais para que a sensação de tristeza profunda seja amenizada e, com isso, compartilhar vivências com outras pessoas que talvez estejam sofrendo do mesmo mal. No universo online, são constantes os depoimentos de personalidades da mídia que expõem a doença e, com o passar do tempo, anunciam a pausa na carreira para buscar o tratamento adequado.

A doença não escolhe idade, sexo, estilo de vida ou profissão. Na semana passada, fomos surpreendidos pelo relato do ator e humorista Whindersson Nunes que, há alguns anos, nos faz “chorar de rir”, literalmente, com os vídeos publicados em suas redes sociais. Mas, desta vez a aparição foi para falar de algo sério. Em uma série de postagens na rede social Twitter, Whindersson desabafou sobre seus sentimentos em relação à carreira e à depressão. “Eu sinto uma angústia todos os dias, todos os dias, algumas risadas, algumas brincadeiras e depois lá estou eu de novo com esse sentimento ruim”, relatou em um dos posts. E é justamente isso o que ocorre com quem sofre da doença, já que atrás do sorriso há sempre algo deprimente.

Após as publicações de Whindersson, muitos internautas demonstraram apoio e incentivo para que se recupere. Mas também surgiram aqueles que o condenaram como sendo uma oportunidade para se destacar. O problema constante com quem sofre da doença é a falta de empatia por uma parcela da sociedade. Comentários negativos em cima do assunto faz com que a situação fique ainda mais crítica, podendo resultar em risco de vida, uma vez que a tristeza profunda eleva a capacidade do ser humano em cometer ações sem raciocinar.  O ser humano precisa pensar no próximo como pensa em si mesmo, pois compreender os sentimentos dos outros contribuirá positivamente para o crescimento emocional de ambas as personalidades.