Falta de educação afeta trânsito prudentino

Para usuários, problema compromete o bom funcionamento do fluxo urbano e o relacionamento entre motoristas e pedestres; Semav defende políticas para corrigir comportamento

ANDRÉ ESTEVES - Da Reportagem Local • 14/09/2018 07:32:00

Transeunte é obrigada a atravessar fora da faixa de pedestre. Foto: José Reis

Demandas por semáforos, obstáculos e sinalização. Falta de espaço para estacionamento de veículos. Reivindicações por mais linhas e horários de transporte coletivo. Estas são algumas das queixas populares que podem ser elencadas quando o assunto é o sistema viário de Presidente Prudente. No entanto, mais do que problemas estruturais, uma das reclamações prevalentes entre a população prudentina é a falta de educação no trânsito e a imprudência dos condutores, que afetam diariamente o bom funcionamento do fluxo urbano e o relacionamento entre motoristas e pedestres. Nesta semana, a reportagem flagrou o exato momento em que um automóvel parou sobre a faixa de pedestre, obrigando a transeunte a contornar o veículo fora do dispositivo, sendo exposta a riscos físicos. Para a Semav (Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública), esta prática é resultado de um problema cultural e comportamental que só pode ser corrigido a partir do seguinte tripé: planejamento, educação e fiscalização.

O artesão Izael Tomáz Gomes, 53 anos, acredita que a origem do dilema está na formação do condutor, que, além de não sinalizar adequadamente os seus movimentos para os demais motoristas, ainda não respeita a convivência dos veículos dentro das vias. “Há pessoas que estão estacionadas, dão seta para sair, mas ficam esperando por um longo tempo, porque ninguém lhes concede a oportunidade. Ou, então, um pedestre vai atravessar a faixa e o motorista só falta atropelá-lo”, expõe.

O pintor Edinaldo Barbosa dos Santos, 48 anos, acredita que muitos condutores agem da forma como julgam mais conveniente no trânsito, sem perceber que há uma legislação a ser obedecida. “É preciso que as falhas na formação sejam resolvidas dentro das autoescolas e os motoristas saiam de casa com antecedência, sem a necessidade de atropelar o outro para chegar ao seu destino”, avalia.

O titular da Semav, Oswaldo de Oliveira Bosquet, expõe que a pasta desenvolve uma série de campanhas e ações educativas, com o objetivo de promover um trânsito mais seguro e prudente e, com isso, contribuir para a mudança de comportamento dos condutores e pedestres. Ele explica que o município enfrenta hoje um problema global: o crescimento desenfreado da frota veicular, que incha o espaço urbano, onera a malha viária e compromete a qualidade do ar. “Incentivadas a adquirir o seu próprio veículo, as pessoas tendem cada vez menos a utilizar o transporte coletivo, o que influi diretamente no cálculo tarifário. Com isso, os trabalhadores pagam mais caro na passagem, enquanto veículos de passeio permanecem sublocados e tomando todo o espaço desnecessariamente”, pondera.

Outro meio de transporte que a administração tem incentivado é a bicicleta. Bosquet estima que Prudente seja composta por mais de 8 mil ciclistas, contudo, grande parte só utiliza este veículo para lazer e atividades esportivas. Com a progressiva integração dos modais – permitindo que as pessoas estacionem suas bicicletas nos terminais urbanos e, ali, recorram ao ônibus – e a implantação de ciclovias, a ideia da municipalidade é que os cidadãos adquiram o hábito de usar a bicicleta para a própria locomoção no dia a dia. “Afora os 15 quilômetros já executados, há a previsão de 80 quilômetros possíveis para a instalação de ciclovias”, menciona. Em relação ao pedestre, o secretário ainda defende a pulverização ordenada das faixas elevadas, que amparam os transeuntes de forma mais eficaz. “Contudo, esse tipo de equipamento não pode ser implantado sem planejamento, senão trava o trânsito, principalmente em pontos de grande fluxo”, observa.

Transporte coletivo

Em nota, a Prudente Urbano informa que o novo centenário da cidade representa para o sistema viário o início do que pode significar “uma grande mudança no transporte público municipal”, processo iniciado com a licitação da prestação desse serviço, onde novas diretrizes foram colocadas como exigências ao vencedor do processo.

A empresa enfatiza que, entre as novidades trazidas em 2018 aos passageiros, estão o treinamento constante de seus profissionais, frota renovada com 22 veículos zero quilômetro, veículos adaptados conforme lei de acessibilidade, wi-fi gratuito em todos os ônibus, aplicativo gratuito “Meu Ônibus” com informações instantâneas do GPS integrado à frota, propostas junto à Prefeitura para maior mobilidade urbana no transporte público da cidade, bilhetagem eletrônica, biometria facial e quatro câmeras à bordo, novo ponto de atendimento no PPU (Prudente Prático Urbano), site informativo e rede social atuante.

A companhia pontua que, para o futuro próximo, apoia alternativas de subsídio ao transporte coletivo, de modo que “a tarifa não sobrecarregue a vida do passageiro, aliando uma boa gestão que ofereça qualidade com um preço mais acessível ao cidadão que busca maior mobilidade urbana”.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste