José Reis - No total, 8 trabalhos do artista estão expostos na Galeria Cristal de Talentos da Apea

Foto: José Reis - No total, 8 trabalhos do artista estão expostos na Galeria Cristal de Talentos da Apea

“TODA FORMA DE COR”

Exposição chama atenção para o desmatamento

Com abstratos contemporâneos, artista plástico Vadinho apresenta 8 obras na Apea; mostra teve início no dia 23 de agosto e pode ser vista até 16 de setembro

  • 27/08/2019 09:01
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Num cenário atual, o desmatamento no Brasil ganhou ainda mais discussão, pelos acontecimentos trágicos envolvendo os Estados de Rondônia e Amazonas. Fazendo um apelo a esse acontecimento, mas também em prol de qualquer área verde no Brasil e no mundo, o artista plástico Erivaldo Santos, Vadinho, apresenta a exposição “Toda Forma de Cor”, na Galeria Cristal de Talentos da Apea (Associação Prudentina de Esportes Atléticos). A mostra iniciou-se no dia 23 de agosto e segue até o dia 16 de setembro, com entrada gratuita.

“‘Toda Forma de Cor’ se deu pelo sentimento das cores em nossas vidas: não existe nada no mundo que não nos completa do que as cores; cor é amor... é sentimento puro!”, comenta o artista, ao ser questionado sobre a escolha do nome da exposição, que carrega oito obras expostas. No total, são cinco painéis medindo 1 m (metro) x 1,20 cm (centímetros), dois medindo 1,30 cm x 1,60 cm e um outro  com 1,30 cm  x  2 m.

“Alguns chamam a atenção pelo não desmatamento, não só da Amazônia como em qualquer Mata Atlântica no Brasil e no mundo. E se tratando de abstratos contemporâneos modernos com cores vivas, os amantes e bons olhos irão vivenciar essas obras com os últimos acontecimentos no Brasil, como a obra Senhor da Natureza e Mulher Natureza [Uma Arvore, uma Vida]”, volta a destacar Vadinho. E no geral, todos seguem a mesma temática que é toda a forma de cores, com cores quentes, vivas e vibrantes.

“‘Toda Forma de Cor” se deu pelo sentimento das cores em nossas vidas: não existe nada no mundo que não nos completa do que as cores; cor é amor... é sentimento puro!”

Vadinho,

artista plástico

E a mensagem que ele busca transmitir faz um reflexo dele mesmo. Isso porque, segundo o artista, a vida tem a cor que pintamos e às vezes ele ou nós podemos ser o espectador delas, com nossas ações do dia a dia. “Penso... penso, e muitas vezes não sou capaz de tal análise de minha própria criação e é onde entra o espectador e a crítica ou autocrítica, aí sim finalizo com o olhar do espectador”, completa.

A inspiração? Vadinho não deixa de dizer que ela vem do dia a dia e do cotidiano, “como se fosse música”, cheio de notas. “Pra mim, a arte é a psicologia da visão, uma percepção de vida”, finaliza.

Serviço

A exposição “Toda Forma de Cor” está disponível até o dia 16 de setembro. A Apea está localizada na Avenida Coronel Marcondes, 601.

 

Arquivo Pessoal

Vadinho: “Todos seguem a mesma temática, com cores quentes, vivas e vibrantes”

 

José Reis

Telas são em prol de qualquer área verde no Brasil e no mundo