Weverson Nascimento: José conheceu o mundo das lentes e armações aos 14 anos

Foto:  Weverson Nascimento: José conheceu o mundo das lentes e armações aos 14 anos

Exemplo de amor pela profissão

José Jerusalém Ferreira tem 80 anos e dá uma lição de profissionalismo como técnico óptico na Ótica Dicolla, em Presidente Prudente

  • 09/02/2020 06:58
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Os 80 anos de José Jerusalém Ferreira, que é técnico óptico e entrou nessa profissão em 1954, retratam a realidade de uma terceira idade que vem cada vez mais ativa e disposta a continuar “na ativa” dentro do mercado de trabalho. Apaixonado pela profissão que já proporcionou muitas felicidades, o jovem senhor, que é alegre, sorridente, muito educado e dedicado na loja em que trabalha, a Ótica Dicolla, em Presidente Prudente, é um exemplo para quem o conhece.

O primeiro contato com o mundo dos óculos e das lentes veio aos 14 anos, quando ele foi convidado por um amigo para trabalhar em uma ótica. Até então, este ainda era um segmento desconhecido para ele. “Trabalhei seis anos na Ótica Moderna, que foi meu primeiro emprego, mas em 1960 fui para Londrina (PR) trabalhar em outra loja. Foi em agosto de 1961, no entanto, que fui convidado para voltar para minha cidade”, desde então, ele criou uma trajetória de amor pelo que faz, no emprego que lhe é chamado de “dos sonhos”.

José comenta que hoje a função dele é a de supervisionar os produtos, como ver se as lentes estão no grau correto, ajustar armações e garantir que o cliente saia com o maior conforto possível. No entanto, lembra que iniciou a carreira como surfassagista – quando modelava e fazia o grau das lentes – e depois passou para montador, quando realizava a criação de lentes e armações. “Hoje temos um maquinário de primeira linha e que me permite fazer a supervisão de um trabalho que antes era todo manual”.

Ao ser questionado sobre o que a profissão significa para ele, o jovem senhor conta que a palavra “tudo” seria a melhor definição, uma vez que trabalhar, para ele, sempre foi um prazer. “Minha maior satisfação é colocar o óculos no cliente e ele dizer que está enxergando bem”. Na ativa há muitas décadas, ele afirma que não tem planos de deixar de lado o serviço e comenta que enquanto lhe for dada a oportunidade, ele a aproveitará.

“Minha maior satisfação é colocar o óculos no cliente e ele dizer que está enxergando bem”
José Jerusalém Ferreira
técnico óptico