Esporte, que ferramenta tão sublime é esta?

  • 21/08/2019 01:23
  • Marcos Alves Borba

É extremamente estimulante e muito motivador o quanto temos visto e lido sobre histórias inspiradoras de pessoas que mudaram suas vidas, por uma necessidade de sobrevivência e melhor qualidade de vida. E sem dúvida que através de uma atitude muito simples, mas desafiadora, como interesse por um esporte, é que essa necessidade veio à tona. Onde através de tantas tentativas frustrantes as levaram a patamares de que tinham que mudar ou simplesmente desistir de uma possível mudança de vida. Pois bem, sempre temos visto esta simples performance numa atitude de resultados validados dessa grande busca: se ele ou ela pode, eu também posso!

Presidente Prudente já há algum tempo vem numa busca incessante e acirrada de fazer com que muitos pratiquem e vivenciem o esporte como uma alternativa de que pode e deve fazer parte de nossas vidas. E nisso, grande parte de modalidades se dispersam como alternativas daqueles que se interessam pela melhor opção de escolha, isto é, que beneficie a sua conduta e qualidade de vida, mas que contribua de alguma maneira.

A cidade demonstra que já está em alerta, pois isso normalmente acontece. Está nada mais que num processo de grande evolução, isto é, vem crescendo, desenvolvendo-se e criando alternativas em que grande parte das áreas do comércio, das indústrias (mesmo tímidas), serviços, dentre tantos outros vem expandindo seus perfis numa corrente que gera mudanças. Mas, mesmo que seja de maneira tímida, a cidade é fruto de resultados de sua enorme capacidade de empreendedores que estimam um crescimento, quiçá sendo individualizado, isso seja possível que sua credencial de grupos se expande. E isso nos faz repensar o quanto que os gestores, sendo eles principalmente os empresários, de alguma forma poderiam contribuir eficazmente com o nosso esporte na cidade. Muitos e tantos outros já propuseram essa quimera de informações, onde o esporte equivale à soma de outros quesitos.

É bem verdade que outras cidades prosperam interesses de muita gente, o que faz com que muitos empreendimentos acabem escapando de muitos empresários e evadindo-se para outros lugares. E que, de vez em quando ainda ouvimos se tratar de uma cidade na divisa de outros Estados, mas principalmente longe da capital. O que podemos considerar não se levar muito em conta hoje, pois não podemos jamais levar nossas terras a outros lugares. Assim é o lugar, os tempos são outros, e é preciso trabalhar todos os dias e acreditar que por se tratar de capacidade de crescimento e desenvolvimento, a cada dia isso já está acontecendo, ponto. Mas e o nosso querido estimulante e motivador “esporte”, ainda se prevalece de valores que poderão ser extraídos de dentro das escolas? Dentro das empresas? Dentro das instituições? Dentro dos espaços que de alguma forma ainda acredita que pode?

Sóbrios gestores e empresários, grandes buscadores de desafios de suas conquistas e que mesmo numa ferrenha do mercado procuram alternativas de contribuir de alguma maneira? Como o esporte, sendo uma sublime ferramenta que contribui de alguma forma possa evoluir em quase todos os setores? Estamos lindando com pessoas, mesmo aquelas acéfalas ou apáticas aos movimentos necessários de nosso corpo, que se retratem...

Já há algum tempo isso não carece mais, pois nos leva ao anonimato, pois dizer que esse processo é lento, ou uma questão de tempo, nos remete ao puro esquecimento, principalmente aos que ainda continuam a olhar o próprio umbigo. Será que teremos Sidarta, como um grande protagonista que possa nos elucidar de nossas crenças como forma de evolução de uma cidade que pode e deverá respirar esporte, atividade física e qualidade de vida na busca de seus valores, e estimulados por pessoas que entendam, valorizem e sempre contribuam de maneira permanentemente saudável a uma população carente de informações, atitudes verdadeiras, por querer viver cada dia melhor numa cidade-símbolo de uma região crescente.

ÚLTIMAS DO AUTOR

Dia dos Pais

  • 07/08/2019 05:13