DIVERSÃO

Esporte Para Todos movimenta praças de Prudente

Programa conta com atividades em seis modalidades esportivas e clínicas de badminton, arco e flecha e judô

Marcio Oliveira - Oficina de arco e flecha é opção de lazer no Tênis Clube de PP Marcio Oliveira - Oficina de arco e flecha é opção de lazer no Tênis Clube de PP

O período de férias chegou e, para não deixar a criançada em casa só em frente ao celular, Presidente Prudente está recebendo o Projeto Esporte Para Todos, trazido pela Selj (Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude) do Estado São Paulo. As atividades começaram ontem e vão até a próxima quarta-feira das 9h às 18h, tendo somente um intervalo para o almoço. Essa é uma opção de lazer para jovens de 13 a 17 anos que queiram se divertir em diversas modalidades como: futsal, futebol society, basquete, vôlei, vôlei de areia e handebol, além de opções para toda família com as clínicas de badminton, arco e flecha e judô. Quem quiser participar, pode se inscrever nos locais dos eventos a partir das 8h, pois as atividades são totalmente gratuitas.  

A Semepp (Secretaria Municipal de Esportes) também é parceira do projeto e, por isso, cedeu alguns espaços para a realização do projeto como o PUM (Parque de uso Múltiplo), o Campo de Futebol Society do Parque do Povo e o Ginásio de Esportes da Vila Iti. Além disso, o TCPP (Tênis Clube de Presidente Prudente) e a Associação Bushido de Judô também contribuíram com os locais para desenvolver as atividades.

Nas partidas de basquete e handebol, que ocorreram ontem no PUM, o clima era de pura diversão e entrosamento. A coordenadora do evento, Priscila Lestra Martorill, fala que a ideia é promover um momento de interação sem distinção entre as crianças, além de contribuir para que elas se deixem levar somente pelas tecnologias. “A inserção dos jovens e crianças no esporte pode contribuir para tirar esse pessoal da ociosidade e do excessivo do uso da internet e da tecnologia, pois estamos perdendo muito esse público para esses dispositivos”, frisa.

A estudante Isadora Siqueira do Nascimento Silva, de 13 anos, foi até o Esporte Para Todos para jogar uma partida de handebol. A menina se reconheceu na modalidade quando começou a praticar esse esporte no projeto Cidadescola em Prudente. “Eu sempre gostei de praticar esporte, de estar nesse meio, mas ainda não sabia em qual focar. Foi quando comecei a trenar o handebol no projeto e nunca mais parei”. Agora depois de muito treino, desafios e superações, Isadora faz parte do time que representa o município. “Hoje eu estou aqui, pois eles me chamaram para jogar. Tenho me dedicado nos treinos e meu desempenho tem estado muito bom. Gosto muito de momentos assim, porque por mais que a gente jogue com muito foco, é também um momento de brincadeira”, afirma.

Novidades

Priscila ainda conta que esse projeto ajuda a fomentar as modalidades que estão sendo desenvolvidas, principalmente as que não são tão conhecidas. O arco e flecha, por exemplo, não é um esporte muito usual no país, mas justamente por ser desconhecido, atrai um grande público para conhecer essa novidade. A ex-nadadora Fernanda Torre Monteiro, 22 anos, foi vencida pela curiosidade e decidiu conhecer esse novo esporte, que está sendo realizado no TCPP. “Eu gostei mais do desafio, pois não sabia nada, ai eu fiz uns treinamentos agora e no começo tive alguns erros, mas agora estou conseguindo acertar. Isso é o legal, a gente poder se superar”, comenta.

A jovem leva o esporte no sangue, pois conta que nadava desde os cinco anos por incentivo do pai, professor de educação física. “Eu cheguei a competir em vários torneios, ganhei várias medalhas, mas com 18 anos sofri uma lesão e tive que parar”, relata. Agora ela procura se engajar em outra modalidade para poder continuar no esporte. “Já tentei entrar em modalidades de luta e agora vim experimentar o arco e flecha, quem sabe pode ser esse o meu novo desafio”, vislumbra.

Igor Bruno Pascoal Cobeza veio de Bauru para ministrar a oficina de arco e flecha e passar todos os detalhes para o pessoal. “O tiro com arco é um esporte pouco difundido em nível nacional, então a ideia é justamente expandir para o interior do Estado de São Paulo e assim aumentar o número de atletas”. No evento, está sendo desenvolvido o modelo indoor, que consiste em uma menor distância do atirador com o alvo. “A partir dos 10 anos qualquer pessoa pode participar. Damos toda instrução inicial para que a pessoa tenha o primeiro contato com o esporte, para que além de conhecer essa modalidade, também possa se divertir”, conclui.