Real significado

Espírito do Natal deve ser repassado às novas gerações

  • 19/12/2018 09:45
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

A jovem Caroline Barbosa de Araújo, 18 anos, afirma que o Natal é seu feriado favorito, já que, segundo ela, as pessoas ficam mais alegres e vivem um período de reconciliação, já que o significado está atrelado ao aniversário de Jesus. Em suas próprias palavras, é neste período que a energia e o significado de estar junto com a família ganham outro significado. “É quando reunimos os familiares mais próximos para um bate-papo e momentos de descontração. Passamos em casa ou com parentes no Paraná. Neste dia tudo fica mágico, pois a data traz uma energia que ilumina, e mesmo aqueles que estão longe se fazem presentes. É uma época mágica, que muda quem deseja presenciar isto”.

Caroline afirma que a maioria de seus amigos procura festas para passar o Natal, ou eles ficam em casa “obrigados” pelos pais, mas ressalta que não dispensa aproveitar o real sentido da comemoração, já que, entre outros fatores, entendeu do que se trata o dia 25 de dezembro. “Estar na igreja te mostra um lado diferente do Natal, pois imaginava que era uma época de reunir a família e trocar presentes. Hoje, vejo que é mais para compartilhar o que você viveu, de se fazer o bem, renascer, e ver que Jesus nasceu para propagar o bem e mostrar que temos que amar o próximo independente dos seus defeitos”. A jovem lembra ainda da importância de se estar em família, momento que não deveria ser desperdiçado.

Momento importante

Conforme a psicóloga Cibele Mello, este momento de encontro familiar é justamente o responsável por fazer com que as pessoas possam olhar para o próximo, e, assim, dedicar seu tempo para estar perto de quem se gosta e observar o outro como alguém de importância. “É tudo sobre uma questão de estar junto e acolher as pessoas que são queridas. Não somos nada sem afeto e isso não é sobre um amor romântico, mas sobre levar como importante o outro na sua vida”.

Ainda conforme a especialista, a relação da juventude para com a celebração de Natal, aparentemente, segue durante o ano como se não tivesse tanta importância, como se fosse algo corriqueiro e ligado apenas à cultura, significado que, segundo ela, se transforma com a chegada do fim do ano. “O Natal não consegue ser qualquer coisa, pois, de alguma forma, todos se reúnem e fazem uma festa familiar. O espírito natalino move e transforma as pessoas, que diminuem o ritmo de suas atividades e passam a olhar para a data com outros olhos. Penso que essa tradição, principalmente para os jovens e crianças, deve sim ser mantida e fomentada, pois é neste tipo de encontro que você aprende com o outro e realiza uma troca de valores, já que é impossível viver sem tais referências”, pontua.

Visão religiosa

De acordo com o padre Sandro Rogério dos Santos, Natal é o dia em que se celebra o nascimento e a manifestação de Jesus Cristo, “luz do mundo”, considerado como o filho de Deus e que assume a natureza humana. “A religião oferece a religação entre o humano e o divino. E o Natal é, digamos, a forma excelsa desta religação”. Questionado sobre a ligação dos jovens para com o significado da data, Sandro relata que a relação é, no mínimo, controversa, já que há um apelo ao consumismo e às festas sociais sem relação ao sentido cristão do Natal, de forma que a juventude seria a mais susceptível a tal apelo.

“Não que seja mau, a sociedade é plural, globalizada e as famílias já não são unidas nem vivenciam a fé de modo orgânico como há alguns anos. Com isso, as tradições familiares em sua quase totalidade têm-se perdido amiúde”. Ele ressalta, no entanto, que há muitos jovens na igreja e estes, a seu modo, conseguem manter viva a fé e um modo de celebrá-la, mesmo que em sua opinião, grande parte da juventude “customize” a fé - faz uma religião ao seu modo – e, com isso, põe cores e sentidos novos na realidade existente. “O espírito natalino, pelo menos até onde minha vista alcança e meu coração sente, tem-se perdido, infelizmente”.

PERFIL

                                                             Marcio Oliveira

Nome: Ana Carolina Viel

Idade: 18 anos

Curso: Medicina

Universidade: Unoeste (Universidade do Oeste Paulista)

Cidade: Presidente Prudente

Como costuma ser o Natal na sua família?

Sempre nos reunimos com a família toda, seja com a parte da minha mãe, que é de Presidente Prudente mesmo e é bem grande, ou com a do meu pai, que mora em Arapongas, no Paraná. É sempre muito especial, pois é o momento que conseguimos nos reunir, trocar presentes e de forma harmoniosa celebrar o nascimento de Jesus.

Estar em família é um costume antigo ou algo que começou recentemente?

É uma tradição, não consigo imaginar o Natal de outra forma que não seja com a casa cheia, muita comida e união. Espero que mantenhamos assim por muitos anos.

O que o Natal significa para você? O que te motiva a continuar levando a data como ela realmente merece?

Quando criança é normal que levemos o Natal como uma data para ganhar presentes e afins. Hoje, no entanto, mais crescida e estando na igreja toda semana, levo como uma data sagrada em que a paz, harmonia e união devem prevalecer, mas não se esquecendo do motivo maior que é Jesus, por isso deve também haver muita oração.

Estar ativamente na igreja é um dos motivos que lhe fazem crer no significado do Natal?

Estar ativa me ajudou muito a entender o real significado do Natal, assim como outras datas comemorativas da Igreja. Nessa época, costumo ir todos os anos à missa, seja em Presidente Prudente ou quando vou para minha cidade, que é Arapongas (PR), dando ainda mais sentido para o meu Natal.

Sair com amigos e curtir festas na noite de Natal, como ocorre no ano-novo, é uma possibilidade ou você acredita que a data é mais voltada à família?

Não sou muito adepta à ideia de comemorar o Natal em festas, baladas, por uma questão de respeito a Jesus que vai nascer, creio que o foco acaba se perdendo. Ano-novo também sempre passo em família, nunca fui a uma festa de réveillon, mas é uma boa data para comemorar com amigos.

Por fim, como os seus amigos jovens lidam com essa data? Eles costumam aproveitar da mesma forma que você?

Tenho amigos que levam no mesmo significado que eu, mas também há os que não. Mas é tudo uma questão de crença e vivência na igreja. Respeito muito a opinião de cada um quanto a essa e qualquer outra data comemorativa.

DICAS DE FILMES

O príncipe do Natal – O casamento real (2018)

                                                      Reprodução/Netflix

No ano passado, próximo do Natal, a Netflix lançou um filme que foi sucesso entre adolescentes e famílias de todo o mundo. O longa intitulado de “O príncipe do Natal” contava a história de uma repórter, Amber, que se disfarçara de tutora como pretexto para realizar uma reportagem sobre a vida de um príncipe aparentemente playboy. A trama, então, se desenrola a partir de uma paixão entre a falsa tutora e o príncipe, e da expectativa em cima do momento em que ele descobrirá sua identidade (alerta spoiler a partir daqui). O relacionamento deu certo e 365 dias após o início do romance, no Natal de 2018, o casal está com o matrimônio marcado, mas se depara agora com mundos totalmente diferentes prestes a se juntarem. A necessidade de adaptação para ambos se torna, então, o desafio. A trama, que conta com um pouco de comédia, não deixa de abordar ao longo das quase duas horas de filme a importância de se levar a sério o verdadeiro sentido do Natal e de manter vivo o espírito de harmonia para com a data.

Cartão de Natal (2017) 

                                                      Reprodução/Netflix

Esse é um daqueles filmes que objetivam apresentar ou relembrar ao público o real sentido da celebração do Natal. A história retrata a vida de uma ambiciosa mulher, chamada Ellen, que está prestes a herdar o negócio da família, mas deve antes ir até uma pequena cidade, chamada de Snow Falls, para encontrar um ex-parceiro de seu pai e entregar um cartão de Natal da família. Em meio a uma tempestade de neve e do lugar desconhecido, Ellen encontra aquele que teria tudo para ser o amor de sua vida e percebe que sua vivência no interior representa exatamente o verdadeiro significado do Natal, quando ela se depara com o acolhimento, com uma realidade diferente da que estava acostumada e, principalmente, o amor.