Escola e qualidade de vida...

  • 18/09/2019 04:07
  • Marcos Alves Borba

Que a escola é fundamental para transmissão de conteúdos e conhecimento, certamente não temos dúvidas. Mas, já algum tempo sentimos que, a maioria dos jovens continua numa linha tênue, entre aceitar ou entender qual o melhor caminho a ser seguido, e que infelizmente acabam subtraindo interessados em ficar entre quatro paredes na espera do que pode agregar aos seus valores. Mesmo não deixando bem claro de suas escolhas, incertezas prostram na mente, daquilo que praticamente não irá somar e do que pode ser importante e necessário, quando se quer ou tentar uma profissão.

É bem verdade que hoje as instituições procuram e tentam o máximo de seus recursos na intenção de atrair mais interessados, o que pode estimular numa decisão para muitos, quando se cria uma ponte entre a vida atual e a vida que eles gostariam de ter. Entendemos que esse processo veridicamente não é nada fácil, mas que acaba criando estímulos que podem atraí-los. 

Desde 2017, a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) destaca projeto de vida como uma das dez competências norteadoras da educação básica no país. Diversos colégios implementaram programas nesse sentido. O que faz com que professores, coordenadores, diretores cheguem num processo de desenvolvimento como buscar os incentivos reais numa proximidade da vida real aos interesses dessa juventude tão perdida de suas buscas. São Paulo é uma das capitais que vem fazendo e rebuscando alternativas nesse sentido, o que faz com que os pais aderem a esse entendimento que juntos o caminho com certeza fica muito mais leve. Precisamos cuidar dessa geração, mas dando a eles alternativas que possam unificar seus interesses com valores que estimulem e credenciem uma boa qualidade de vida.

Com essa gama enorme de informações nos tempos de hoje, é natural que nossos jovens tenham mais dúvidas. Assim, é salutar que hoje os professores sentem essa reação de uma juventude perdida num oceano de oportunidades. São muitas opções e às vezes a escola fica tão focada no ensino de disciplinas e conteúdos elementares que não abre espaço para o autoconhecimento. Assim, entendemos e até respeitamos segmentos que até sejam tradicionais demais, o que faz com que essa juventude perca o interesse em buscar e focar num estudo que a estimule. 

É preciso que se criem e mantenham exposições, feiras, workshops, entre tantas e outras amostragens, e que possam não só identificar, mas atrair de forma mais precisa essa juventude que até sabem, mas que ainda se encontram totalmente perdidas. É preciso que eles também se interessem e busquem alternativas que possa de alguma forma contribuir e agregar as suas vidas.

Quando entendemos que essas preciosas formas de que esses encontros podem unificar valores, as suas angústias e indefinições, é sempre vital, quando alguém, por mais simples que seja, impulsione essa geração que infelizmente não sente e nem percebe o quando há necessidade desse montante chamado crescimento e desenvolvimento pelo seu valor. O que não queremos que preconizem uma ansiedade de uma depressão infinita e, que possa levá-los a um destino de evolução salutar.

Essa geração precisa urgentemente sentir e ter qualidade de vida, se sentindo muito próximo de pessoas que querem o seu melhor. Procurando o melhor para si, desde que busque os verdadeiros pilares que contribua com seu propósito de vida. Então, que seja real a sua busca diária, desde que seus interesses possam fazer com que cada família, mesmo na controvérsia de opiniões, credencie um valor a cada dia, dando um sentido próximo de fazer o seu melhor. Se, assim entendermos e praticarmos, sem dúvida já será um grande incentivo. Que nosso Brasil possa fazer dessa geração pessoas de sã consciência, e que contribua com cada área para o seu futuro muito promissor.

ÚLTIMAS DO AUTOR