Imposto de renda

Erro na declaração pode prejudicar contribuinte

Contador diz que falta de informação causa falhas graves na hora de preencher o documento; risco de cair na malha fina aumenta

ROBERTO KAWASAKI - Da Redação • 09/04/2018 18:36:20

Foto: Marcio Oliveira - Fernando conta que ainda não recebeu declarações com erros

 

Desde o dia 1º de março ocorre a entrega do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) 2018, que segue até o dia 30 de abril. Em Presidente Prudente, enquanto alguns contribuintes preferem contratar escritórios de contabilidade para preencherem o documento online, outros buscam fazer a declaração por conta própria. Para quem prefere a segunda opção, é preciso tomar alguns cuidados básicos para que o documento não seja preenchido de maneira errada, sob o risco de entrar na malha fina.

De acordo com Jairo Qualva Coelho, supervisor da Alpha Contabilidade e Consultoria Empresarial, o erro mais comum que encontra nas declarações de imposto de renda é referente à digitação. Ele diz que devido à pressa, o contribuinte comete erros quanto aos dados das fontes pagadoras e também aos valores que precisa declarar. Segundo Jairo, esta situação faz com o que a pessoa “perca tempo na Receita” e, consequentemente, “vai cair na malha fina”.

Devido à falta de atenção, o supervisor esclarece que o contribuinte terá que retificar a declaração e apresentar a documentação necessária para que falhas não passem despercebidas. “A falta de informação pode ocasionar o defeito na digitação”, expõe. Para evitar as falhas, o supervisor indica que a pessoa faça uma análise do que tem em mãos e confira os valores mais de três vezes.

Para o contador do escritório Contcenter, Fernando Garcia Lamberti, são inúmeras as situações que fazem com que o contribuinte se perca na hora de declarar a renda. Ele conta que neste ano, o escritório onde trabalha ainda não recebeu nenhum caso de incoerência, mas reforça que é importante ficar atento no momento de preencher o documento.

De acordo com o contador, muitas vezes o contribuinte se esquece de declarar alguns rendimentos e, devido
à falta de informação, comete “erros graves” durante o preenchimento. Ele cita que o mais comum é a apropriação de cursos livres como despesas dedutíveis de educação que, segundo o contador, “não precisa ser declarado”. Além disso, ele explica que outra desatenção do contribuinte diz respeito a confundir o tratamento estético como despesa médica, “algo que ocorre muito”.

A equipe de reportagem entrou em contato com a Receita Federal para buscar a quantidade de retificações de declarações feitas no ano passado. Por meio da assessoria de imprensa, fomos informados de que não seria possível apresentar os dados relativos à questão apresentada.

 

Todo cuidado é pouco

O gerente de tecnologia, Alisson Kuhn, 32 anos, trabalha em três empresas e sempre realiza a declaração do imposto de renda no próprio computador. Apesar do risco em acrescentar alguma informação errada, ele esclarece que nunca teve problemas em preencher o documento e afirma estar sempre atento aos números que vai colocar. “Eu faço a tarefa para a família toda”, conta.

Para a empresária Lourdes Pereira Viana, 55 anos, o momento para declarar imposto de renda merece “bastante atenção”. Devido à facilidade e o medo de errar durante o preenchimento, ela diz que há mais de dez anos contrata um contador para realizar a tarefa. “É um trabalho automático. Ele sempre faz a declaração da loja e das particularidades”, finaliza.

 

 

 

 

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste