Entrada gratuita

Encontro de colecionadores continua hoje no Matarazzo

Expositores vieram de diferentes cidades do país para apresentar peças que foram guardadas durante anos; só no fim de semana, entre 4 e 5 mil pessoas devem visitar a mostra

ROBERTO KAWASAKI - Da Redação • 11/03/2018 01:24:57

Foto: José Reis, Diferentes objetos antigos estão sendo conferidos desde quinta-feira, em espaço do Matarazzo

Teve início na quinta-feira e segue até hoje, no Centro Cultural Matarazzo, de Presidente Prudente, um encontro nacional de colecionadores. O evento, realizado pela Associação Prudentina de Multicolecionismo, com o apoio do Automóvel Clube, Correios e governo municipal, por meio da Secult (Secretaria Municipal de Cultura), traz coleções de itens antigos como selos, moedas, cédulas, cartões-postais, cartões telefônicos, brinquedos e relógios. A entrada é gratuita.

De acordo com Luiz Eduardo Viacava, presidente da Associação Prudentina de Multicolecionismo, além da exposição das coleções, o principal objetivo também é a troca de informações e o aprendizado que adquire por meio do contato com outros colecionadores. Segundo ele, os expositores vieram de diferentes cidades como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Uberlândia (MG) apenas para mostrar as peças.

Além disso, Luiz acredita que no final de semana, a média de visitas do público seja maior, uma média que vai variar entre 4 e 5 mil visitantes. Ele conta que na sexta-feira, uma professora de história levou uma turma de alunos para visitar a exposição e aproveitou o momento para “dar uma aula aberta” a respeito das antiguidades expostas. “Foi muito lindo ver isso, as crianças ficaram encantadas”, expõe.

 

Paixão por antiguidades

Sentado atrás de um balcão enquanto analisava algumas moedas, o presidente da associação conta que a paixão por colecionar objetos antigos surgiu quando encontrou uma moeda de 1889 enterrada em um monte de areia. Como era apenas uma criança, Luiz explica que “isso aguçou muito a minha curiosidade. De lá pra cá não parei mais”.

Enquanto organiza as miniaturas de carrinhos na mesa de exposição, o funcionário público Alex da Silva Carvalho, 38 anos, afirma que a vontade de colecionar os objetos surgiu quando ele tinha 6 anos. De acordo com ele, a coleção de carrinhos - que começou há mais de 30 anos - hoje soma um total de 1.200 miniaturas conservadas em sua casa. Em meio às caixas em cima da mesa, Alex mostra um relógio laqueado a ouro, com mais de 100 anos de idade. “Essa peça rara foi uma troca que fiz. Gosto muito dela”, finaliza.

Ao fundo da sala de exposição, o comerciante Hélio César Xavier, 46 anos, interrompe a contagem de figuras em sua lista para conversar com a nossa equipe. Durante o bate-papo, ele diz que saiu de São Paulo apenas para expor sua coleção moedas, cédulas e medalhas em Prudente. De acordo com o comerciante, a internet tem facilitado o contato entre os colecionadores para que possam fazer a troca de objetos ou venda entre eles.  “Eu comecei colecionando figurinhas. É realmente um vício”, finaliza.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste