Polícia Civil - Operação resultou na apreensão de drogas, dinheiro e máquinas

Foto: Polícia Civil - Operação resultou na apreensão de drogas, dinheiro e máquinas

Em Dracena

Empresários são presos com drogas e máquinas de azar

Indivíduos são sócios de um bar e utilizavam o estabelecimento como ponto de tráfico; um imóvel escondia as máquinas caça-níqueis

  • 10/01/2019 13:02
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Na tarde de ontem, a Polícia Civil prendeu dois homens de 23 e 29 anos, durante uma operação contra o tráfico de drogas em Dracena. Os indivíduos, que são sócios de um estabelecimento comercial localizado no bairro São Francisco, são acusados de comercializar entorpecentes e adquirir dinheiro por meio de jogos de azar. Foram apreendidas máquinas caça-níqueis, dinheiro e drogas.

Conforme a Polícia Civil, as investigações tiveram início há cerca de um mês, depois que os agentes das delegacias especializadas receberam informações de que os dois indivíduos estariam praticando o tráfico de drogas e jogos de azar por meio de máquinas caça-níqueis em um bar da cidade. Ainda, segundo a denúncia, uma residência em frente ao estabelecimento era utilizada tanto para ocultar as drogas, quanto para praticar os jogos.

Diante dos indícios constatados a respeito da veracidade das informações, a polícia solicitou ao Poder Judiciário o pedido de concessão de mandado de busca e apreensão domiciliar no endereço indicado. Na operação, foram apreendidas 220g de substâncias aparentando ser cocaína que estavam enterradas no quintal da residência.

Dentro do mesmo imóvel, os policiais encontraram três máquinas caça-níqueis, sendo que duas estavam em funcionamento e outra desligada por problemas no contato elétrico. Já no interior do bar, as equipes apreenderam duas porções de cocaína fracionadas e devidamente embaladas para a comercialização, bem como dois aparelhos celulares e a quantia de R$ 44 em espécie.

De acordo com a Polícia Civil, os envolvidos foram apresentados na sede da DIG/Dise (Delegacia de Investigações Gerais/Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) onde tiveram as prisões em flagrante ratificadas. Os materiais apreendidos foram enviados ao IC (Instituto de Criminalística) para elaboração de laudo.