INFRAÇÃO

Empresa é multada em R$ 17,1 mil por crime ambiental

Militares constataram retirada de 57 árvores nativas em Tupi Paulista; flagrante ocorreu quando máquina enterrava os restos

26/02/2019 12:23 • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação
Polícia Militar Ambiental - Retiradas ocorreram em área que era considerada de pastagem Polícia Militar Ambiental - Retiradas ocorreram em área que era considerada de pastagem

A Polícia Militar Ambiental multou em R$ 17,1 mil uma empresa sucroenergética depois de constatada a retirada de 57 árvores nativas. O terreno onde ocorreu o crime ambiental fica localizado em uma propriedade rural, às margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), em Tupi Paulista. O flagrante ocorreu ontem, durante fiscalização de rotina dos militares.

Segundo a corporação, os policiais observaram que no local dos fatos havia uma máquina trabalhando na área que até então era considerada de pastagem. Diante disso, abordaram o trabalhador e identificaram que o mesmo estava enterrando os restos das árvores suprimidas – palavra técnica que indica quando a árvore é retira por inteira, desde a raiz. “O corte é mais fácil de identificar, pois deixa vestígios, já a supressão dificulta a identificação porque não sobra nada”, afirma o 1º sargento Robson Dinardi. 

“Sempre que ocorre mudança de atividade agrícola para a implantação de canavial, é padrão que a polícia entre e verifique se está tudo certo. Como a área era de conhecimento nosso, verificamos por meio de imagens de satélite que faltava vegetação, o que constatou a perda de 57 árvores”, explica Dinardi. A terra estava arrendada para a empresa, desta forma, a mesma responderá às penalidades.

Multa simples

Conforme o artigo 53 da Resolução 48/2014, da Secretaria de Meio Ambiente, a infração por explorar qualquer tipo de vegetação nativa resulta em auto de infração ambiental de multa simples, no valor de R$ 17,1 mil conforme o corte das árvores. O contato foi feito com a empresa, e a mesma recebeu a notificação sobre a autuação aplicada.