Varal Poético

Em palavras, Nelson do Povo fala de amor na Praça Nove de Julho

Desde a segunda-feira, até sexta, o poeta tem tornado o Teatro de Arena, no calçadão, mais poético, terno, em homenagem às mulheres

OSLAINE SILVA - Da Redação • 07/03/2018 09:05:56

Foto: José Reis, Nelson do Povo tem tornado o Teatro de Arena da Praça 9 de Julho mais poético, recheado de palavras de amor

Um varal e pregadores de roupas! Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, o artista plástico, poeta, desenhista e escritor Nelson Ferreira dos Santos, popularmente conhecido como Nelson do Povo, tem tornado o Teatro de Arena da Praça Nove de Julho mais poético, recheado de palavras de amor e ternura, nesta semana. Desde segunda-feira até sexta, das 14h às 17h, ele está no local com seu projeto intitulado Varal Poético – “Reflexões da Alma”.

Ali, enquanto as pessoas passam de um lado para o outro, Nelson lhes oferece, como um presente, textos poéticos. Poesias de sua própria autoria. Nelson diz que desta vez produziu 50 poemas que em sua singeleza tem o desejo de proporcionar às pessoas momentos de emoção e ternura, por meio de uma rápida leitura.

“Há dois anos tenho a liberdade de poder fazer essa homenagem às mulheres. Eu gosto de respirar o amor e de passar um pouco de ternura para os outros, coisas que estão faltando nos dias de hoje, quando as pessoas parecem não ter mais tempo de desejar um bom dia, boa tarde, boa noite. Estamos esquecendo as pequenas coisas que nos fazem grandes!”, exclama o poeta.

Nelson faz questão de agradecer o apoio da equipe Secult (Secretaria Municipal de Cultura), especialmente o secretário José Fábio Sousa Nougueira e o assessor da pasta, Denilson Biguete, pelo respaldo com seu projeto. “Meu trabalho tem sido muito reconhecido. Valorizado pelas pessoas. Estou recebendo vários convites para novos projetos. Só tenho a agradecer por tudo”, destaca Nelson do Povo.

Ele adianta e diz que em breve novos projetos serão fechados.

 

A arte da vida

Nelson do Povo que está em Presidente Prudente há mais de 20 anos é um dos moradores do Parque Furquim. Ele conta que o amor em compor surgiu quando ele era ainda um jovem de 16 anos. Daí para frente ele nunca mais parou de escrever a arte da vida, o amor, ou o que lhe causa dor, mas nunca deixa de ser amor.

Ele gravou um CD experimental, qual logicamente recebeu o título de “Eu Acredito no amor”, composto por 19 poemas. Escreveu vários livretos com poemas e poesias, fez várias exposições de desenho, esculturas, poemas, óleo sobre canson, autorretrato de artistas e de políticos da cidade.

“Sempre digo que a minha caminhada não tem sido tão fácil. Mas, a alegria não consegue ficar longe de mim não [risos]. E gosto de declamar um pedacinho de um dos meus poemas que diz assim: ‘Amor e carinho aonde há afeto da semente que se plantou, a flor na estrada do amor que se apontou. Do amor como for, aonde for é amor”, recita Nelson do Povo.

 

“Sempre digo que a minha caminhada não tem sido tão fácil. Mas, a alegria não consegue ficar longe de mim não [risos]”

Nelson Ferreira dos Santos,

escritor

 

POESIA

CULTIVES O QUE TEM DE MELHOR”

Cultives o que tem de melhor,

Sedes sincero e aches teu caminho.

Sussurres amor,

Grites se não ouvires.

Porém, ande

Não corra,

Não pare.

Ganha apenas quem chega!

Acalma-te.

Compartilhe.

Fazer é preciso.

Tem amigo quem é amigo.

Preciso sorrir.

Vença, pois Ele venceu.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste