Educação a distância amplia acesso ao ensino superior, mas requer disciplina

15/03/2019 04:01 •

Um desejo compartilhado pela maioria dos estudantes é ingressar em uma faculdade e garantir a habilitação necessária para o exercício da profissão almejada. Num cenário em que se exige cada vez mais a qualificação profissional, ter uma graduação no currículo já é o primeiro passo para passar na frente de muitos candidatos. No entanto, por maior que seja o interesse de cursar o ensino superior, pisar em um campus de universidade nem sempre é uma possibilidade ao alcance de todos, ainda mais diante de todos os compromissos e responsabilidades com os quais temos de arcar todos os dias. O avanço das tecnologias, contudo, trouxe uma alternativa em prol desta demanda: o EAD (Educação a Distância), modalidade que permite que as pessoas consigam uma formação fazendo seus próprios horários e sem a necessidade de deslocamento.

O sucesso deste novo modelo de estudo é comprovado por estudos voltados ao ensino superior. Conforme noticiado por este periódico na edição de ontem, o número de matrículas em cursos EAD na região apresentou um aumento de 2,27% entre 2016 e 2017, indo na contramão do cenário encontrado nos cursos presenciais, que, no mesmo período, registraram queda de 2,56%. Os dados foram disponibilizados pelo Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior do Estado de São Paulo). São vários os fatores que podem explicar a preferência pelo EAD, a começar pelos baixos custos com transporte, já que quem mora fora não precisa sair de uma cidade para outra e não gasta com combustível e passagens de ônibus.

Além disso, o EAD é capaz de contemplar outros grupos que não os jovens, como, por exemplo, mães com filhos pequenos ou aqueles que trabalham o dia todo, que têm a chance de organizar seus próprios estudos. Porém, nem tudo são flores. Para quem for embarcar nessa jornada, é preciso disciplina e dedicação, considerando que esse modelo de estudo não é acompanhado de um professor pronto para puxar a orelha do aluno quando esse se mostrar omisso. Apesar deste aspecto negativo e a falta de interação física, o EAD democratizou o acesso ao ensino superior e favoreceu a busca pelo saber e pelo aperfeiçoamento pessoal e profissional.