Isadora Crivelli - Catedral de São Sebastião é sede da Diocese de Presidente Prudente

Foto: Isadora Crivelli - Catedral de São Sebastião é sede da Diocese de Presidente Prudente

MÁRTIR

Diocese celebra Dia de São Sebastião

Padroeiro de Prudente, seu nome foi escolhido por ser protetor contra as doenças, que assustavam os colonizadores; a mensagem do santo nos dias de hoje é sobre o acolhimento das minorias

  • 19/01/2020 05:03
  • MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

A comunidade católica de Presidente Prudente está em festa, aliás, não só da capital do oeste paulista, mas também de todas as cidades que fazem parte da Diocese dedicada a São Sebastião. Depois das celebrações de 60 anos da Diocese, em 16 de janeiro, dia 20, quando é comemorado o dia do santo que é mártir da igreja católica, são realizadas uma série de celebrações em homenagem ao padroeiro.

Amanhã de manhã, às 8h, há missa na Catedral de São Sebastião, na Praça Monsenhor Sarrion, no centro de Prudente. Durante todo o dia, informa o monsenhor José Antônio de Lima, pároco da catedral, a igreja ficará aberta para devoção dos fiéis, e às 19h30, será celebrada missa solene, presidida pelo bispo dom Benedito Gonçalves dos Santos, seguida de procissão nas ruas centrais da cidade.

UM POUCO

DE HISTÓRIA

O monsenhor explica que não é por um acaso a dedicação da Diocese de Presidente Prudente, bem como a primeira capela da cidade, ainda de madeira, ao santo. Para isso, o religioso retoma a história de São Sebastião. Francês de nascimento, serviu o exército do Império Romano, no momento histórico que os cristãos eram perseguidos pelo governo. Ele, no entanto, era comprometido com o cristianismo e atuava para defender a minoria perseguida, atuação que o levou a tornar-se um “traidor do Império”.

São Sebastião foi martirizado, flechado por soldados, mas as flechas não foram capazes de tirar sua vida. Ele sobreviveu e foi cuidado por uma senhora, que tratou suas feridas. Recuperado, retornou a imperador e reafirmou sua fé. Foi, pela segunda vez, martirizado, desta vez, açoitado com bolas de ferro, e não sobreviveu.

“A partir daí, surge a devoção em torno de São Sebastião, como um homem de fé, postura e fidelidade ao evangelho. Pela devoção ter crescido primeiro na Europa, tornou-se padroeiro contra as pestes, fome e guerras que ocorriam no continente”, afirma o monsenhor.

Os portugueses que vieram ao Brasil trouxeram consigo a devoção, primeiro ao Rio de Janeiro, cidade que também o tem como padroeiro, e depois pelo resto do país. “Em Presidente Prudente, os fundadores Marcondes e Goulart, dedicaram a primeira igreja do município a São Sebastião, por conta das doenças e pestes tropicais que existiam na região, ainda tomada por florestas”, explica o pároco da catedral.

A MENSAGEM DO

PADROEIRO AO POVO

Monsenhor José Antônio de Lima expõe que reafirmar todos os anos e todo o tempo a mensagem do padroeiro da região é fundamental. “Ele está preocupado com os que professam a fé, mas estão marginalizados”, diz. “A essência da fé cristã é o amor a Deus e ao próximo, hoje jogamos isso na realidade do município, a da exclusão. A exemplo de São Sebastião, devemos acolher e transmitir o valor do evangelho. Num mundo perseguido, ele passava os valores cristãos”, ressalta.

SAIBA MAIS

De acordo com a Pastoral da Comunicação da Diocese, seu nome foi colocado na Catedral de São Sebastião, fundada em 1925 pelo monsenhor José Maria Martinez Sarrion. Em 1926, no dia 2 de outubro, foi realizada a primeira festa em honra ao padroeiro São Sebastião, não visando ao aspecto litúrgico, mas promocional, objetivando conseguir fundos para serem empregados nas atividades de construção.

PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA

Amanhã, às 8h – missa na catedral

Amanhã, às 19h30 – missa solene presidida pelo bispo dom Benedito, seguida de procissão pelo centro de Prudente