Venceslau Detentos serram janela de cela e tentam fugir da P2

 11/10/2017  - THIAGO MORELLO - Da Redação

A A A

Três presos da Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira (P2) de Presidente Venceslau tentaram fugir do complexo, na madrugada de ontem, após serrarem grades da janela na cela em que estavam. Conforme informações da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), eles foram pegos por funcionários da unidade prisional, no momento em que tentavam pular o vão. Uma serra de cinco centímetros foi localizada no local.

Era por volta da 1h e os servidores da penitenciária realizavam vigilância no raio 3, quando avistaram a tentativa de fuga. Ainda de acordo com a secretaria, logo de imediato, foram acionados a direção do Núcleo de Disciplina da unidade, bem como a Polícia Militar e o GIR (Grupo de Intervenção Rápida), que conseguiram interceptar a ação dos detentos. Os fugitivos foram conduzidos até o pavilhão disciplinar.

Durante vistoria na cela, após o ocorrido, verificou-se que os reeducandos haviam serrado três grades da janela, por onde conseguiram sair. Além disso, ademais a serra localizada, também foram encontrados um gancho confeccionados com ferros retirados das camas e uma corda artesanal de seis metros. A SAP informa que, para averiguação dos fatos, foram instalados procedimento disciplinar apuratório e apuração preliminar.

 

Agressão

Na noite de segunda-feira, a SAP também informou sobre um caso de agressão a um funcionário da penitenciária de Lucélia. Conforme a pasta, um sentenciado do pavilhão habitacional saiu para o banho de sol e não retornou à cela, “ficando escondido debaixo da escada que dá acesso às celas do pavimento superior”. No momento em que o supervisor passava pelo perímetro, realizando a conferência dos detentos, o preso o surpreendeu e o agrediu com pontapés e socos.

O funcionário teve de ser encaminhado ao setor de enfermaria da unidade prisional, pois sofreu escoriações leves. Em seguida, ele foi transferido à santa casa da região, para avaliação médica. A SAP ressalta que “o servidor se encontra em bom estado de saúde e o sentenciado envolvido na agressão foi isolado preventivamente e responderá a procedimento interno disciplinar”. Além disso, foi solicitada ao Poder Judiciário, a internação do preso agressor no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), de Presidente Bernardes, pelo prazo máximo de 360 dias, conforme a lei.

Comentário