Crime ambiental

Descarte irregular de lixo gera reclamações no Parque Imperial

Moradores estão insatisfeitos com a "falta de cuidado e manutenção de área verde"; Prefeitura pede colaboração da população

PÂMELA BUGATTI - Especial para O Imparcial • 11/01/2019 07:55:00

Foto: Marcio Oliveira - Prefeitura ressalta que descarte de lixo em ambientes inapropriados configura crime ambiental

Quem passa pela Rua Ricardo Anderson Cristofano, que dá acesso do Parque Imperial ao Jardim Carandá, em Presidente Prudente, se depara com uma grande área de preservação ambiental composta por uma imensa mata verde, mas também conta com o excesso de entulhos e lixos, além do odor forte. Esses são os principais incômodos dos vizinhos. Segundo Paulo Fernandes Ribeiro, 45 anos, presidente da Associação dos Moradores do bairro, a situação persiste há cinco meses. Conforme explica, a busca por providências com a Prefeitura é “constante e a resposta é sempre a mesma: a melhora do espaço está na programação”.

Contudo, para Paulo, a falta de solução rápida é uma “falha” do poder público e, desta forma, acaba prejudicando a qualidade de vida das pessoas que residem no bairro. “Toda essa falta de respaldo é um descaso total para com a população. Eu represento os moradores e se todos estão reclamando é porque não estamos sendo ouvidos em nenhum momento”, expõe. A cabelereira Carla Regina Sanveggo, 40 anos, concorda. Moradora do Imperial há seis anos, próximo ao espaço descuidado, a prudentina, que tem hábito de caminhar, se sente desprovida de segurança. “O nosso bairro nunca é visto, as calçadas estão danificadas. Eu tenho costume de fazer caminha e como tem um fluxo de veículos grande colocamos em risco a nossa vida e a de quem passa por ali”, pontua.

A massoterapeuta Aline Moraes, 37 anos, expõe a preocupação com o resto de animais mortos, lixo orgânico, latas de tintas, além de vasos sanitários descartados no local. “Nós que moramos ali, sofremos com os mosquitos, escorpiões e baratas, além do cheiro, que é insuportável”. Para ela, a fiscalização intensa e organização resolveriam o problema.

Paulo acrescenta que os moradores devem colaborar com a limpeza do bairro e da cidade. “É responsabilidade de todos cuidarem do meio ambiente. Não adianta ficar em cima da Prefeitura para fazer a parte dela e os moradores e a as pessoas que vêm de outros bairros continuarem descartando lixo irregular”, reconhece.

Posicionamento

Em contato com a reportagem, a Secom (Secretaria Municipal de Comunicação) informou que o local já está na programação de limpeza da Prefeitura. Acrescenta que a “Prefeitura promove a limpeza e manutenção da área constantemente, porém, a população sempre volta a jogar lixo e entulho no local”. Informa ainda que a administração municipal mantém equipes regulares para realizar a limpeza e manutenção das praças, ruas e áreas públicas, mas a população também deve colaborar e não depositar lixo de forma irregular.  “O descarte do lixo em ambientes inapropriados é crime ambiental, quem for flagrado realizando esta prática pode pagar multa que varia de acordo com a infração, podendo chegar a até R$ 4 mil”, completa.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste