Thiago Morello - “As pessoas precisam entender que concessão não é privatização”, diz deputado

Foto: Thiago Morello - “As pessoas precisam entender que concessão não é privatização”, diz deputado

RICARDO MELLÃO

Deputado recebe e acompanha demandas regionais

Parlamentar tratou sobre a concessão do Parque Estadual Morro Diabo, em Teodoro Sampaio, e o credenciamento com o SUS do Hospital Regional do Câncer

  • 16/07/2019 05:39
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

O deputado estadual Ricardo Mellão (Novo) esteve ontem na região cumprindo agenda e intercedendo por demandas regionais. Na ocasião, o parlamentar tratou sobre a concessão à iniciativa privada da gestão do Parque Estadual Morro Diabo, em Teodoro Sampaio, e o credenciamento com o SUS (Sistema Único de Saúde) do HRCPP (Fundação Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente).

No primeiro caso, Ricardo conta que se reuniu com o prefeito de Teodoro, Ailton César Herling (PSB), e falou sobre a demanda que, segundo ele, visa trazer um melhor olhar quanto ao turismo na unidade florestal. “As pessoas precisam entender que concessão não é privatização. A gestão será da iniciativa privada, mas sob fiscalização do Estado, que ainda será o dono, isto é, o povo. Nós temos modelos de sucesso que seguem esse tipo de gestão, promovendo melhorias para o local e girando a economia da região em que o ponto está”, pontua.

Ele lembra que já existe o interesse do Estado em fazer a concessão, por isso cabe cobrar e fiscalizar para que tenha um bom projeto, um bom edital. “O Parque merece uma atenção maior e pode ser mais valorizado, gerando também emprego e renda”, complementa.

Quanto ao hospital, Ricardo fala sobre a visita realizada no local, e destaca “a perfeita instalação existente”, mas que segundo ele, esbarra na falta de dinheiro. “Existe um hospital pronto, com ótimos equipamentos e que pode atender mais pessoas e ser referência do oeste paulista com o credenciamento com o SUS”, frisa.

À reportagem, o político não deixa de falar sobre o olhar à região, que “pouco é fomentando”, mas deve ser feito, “pelo potencial existente”, até mesmo de deputados que não são daqui, como ele mesmo, eleito na capital paulista.