Foto:

baixo estoque

Demanda por bolsas de sangue pode aumentar em 15% em feriados

No Hospital Regional de Presidente Prudente, local trabalhou ontem e fez um convite à população doadora, a fim de suprir possíveis baixas

  • 21/04/2019 07:00
  • THIAGO MORELLO - Da Reportagem Local

Os feriados prolongados são propícios para viagens. Mas isso significa que, nos serviços em que o esforço humano voluntário é preciso, existe a carência. Em um desses casos, pode-se atrelar à doação de sangue. No HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, por exemplo, a unidade de saúde chegou a emitir um chamado à população, abrindo as portas do banco de sangue ontem, a fim de suprir as possíveis baixas.

A coordenadora do departamento, Margarida Silveira, explica que é muito importante as pessoas não deixarem de doar durante o feriado, pois o atendimento no hospital continua e ainda há previsão de aumentar a demanda de bolsas. “Sabemos que durante os feriados há a possibilidade da nossa demanda aumentar até 15%, por conta dos acidentes graves que acontecem com maior incidência. Então, pedimos que a população reserve um tempo durante seu final de semana e venha praticar esse gesto concreto de amor ao próximo”, pontua.

E o pedido foi atendido, até mesmo por pessoas de fora. Em Prudente apenas para doar sangue, a estudante de Bataguassu (MS), Lilian de Oliveira Braz, 17 anos, logo pela manhã já estava no hospital para fazer sua contribuição. Pela primeira vez como doadora, ela conversou com a reportagem no momento em que estava na coleta, e garante que a dor não equivale a nada perto do significado do ato. “Eu vim impulsionada por uma amiga que está precisando. Mas é bom pensar que sempre alguém estará precisando, então, todos devem ajudar”, comenta.

E ela não foi sozinha. Eliana Neiva de Oliveira, 38 anos, mãe da Lilian, estava ao lado, tanto fisicamente quanto no ato. Após fazer a contribuição, a cabeleireira segurou a mão da filha para dar forças. Força essa que vai além do laço entre as duas. “Eu gosto de pensar que estou ajudando a salvar uma vida. É pouco que se doa, a dor é mínima, mas o sentimento é infinito”, completa. Também pela primeira vez como doadora, ela garante que pretende continuar ajudando.

E na caravana sul-mato-grossense também estava a auxiliar administrativo Ione Siqueira Moreira Cardoso, 32 anos. Apesar de ter sido motivada pela necessidade de doar sangue à amiga, assim como Lilian e Eliana, ela também tem um motivo a mais. “Meu pai morreu de câncer. Então, desde que isso ocorreu, eu senti a vontade de ajudar as pessoas. Infelizmente foi preciso passar por uma dificuldade para perceber a importância. Gostaria que, com os outros, isso não fosse necessário”, lamenta. Além de doadora de sangue, ela pretende ser doadora de medula óssea.

De acordo com as informações da unidade de saúde, até o horário em que a reportagem esteve no local, por volta das 10h de ontem, pelo menos 16 pessoas já haviam doado. “Um número bom para um sábado de manhã”, destaca. No dia anterior, sexta-feira, 30 doadores compareceram. Em média, o hospital precisa de aproximadamente 1,4 mil bolsas de sangue para suprir a demanda mensal.

saiba mais

Para realizar o procedimento, o potencial doador precisa ter mais de 52 quilos, ser saudável, descansado, alimentado. No dia da doação, é necessário estar com um documento original com foto. Também é preciso ter entre 16 e 59 anos, sendo que menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável legal.

Serviço

O Banco de Sangue fica localizado no bloco 1 do Hospital Regional, na Rua José Bongiovani, 1.297, Cidade Universitária. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone 3229-1500.

Fotos: José Reis

A estudante Lilian, 17 anos, veio a PP doar o sangue pela primeira vez

107

Eliana: gosto de pensar que estou ajudando a salvar a vida de alguém

109

Não precisa passar por uma dificuldade pra ver a importância, diz Ione

111

No sábado de manhã, pelo menos 16 pessoas haviam comparecido