Sérgio Borges - Atleta do lançamento de dardo promete dar todo gás em seu primeiro Pan-Americano

Foto: Sérgio Borges - Atleta do lançamento de dardo promete dar todo gás em seu primeiro Pan-Americano

CONFIANTE

Deisiane Teixeira embarca com ambição de alcançar o pódio

Ela conta que treinou duro para estar em seu primeiro Pan-Americano de Atletismo Sub-20, em San José, na Costa Rica, e promete que vai dar o seu melhor

  • 17/07/2019 06:42
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Deisiane Teixeira, do lançamento de dardo, enfatiza que o segundo lugar conquistado no Campeonato Sul-americano Sub-20, em Cali, na Colômbia, a deixou ainda mais aguçada a sensação e o gostinho de quero mais. Ela conta que treinou duro para estar em seu primeiro Pan-Americano de Atletismo Sub-20, em San José, na Costa Rica, e promete que vai dar o seu melhor.

“Será uma experiência nova para mim. E acredito que teremos bons resultados, pois durante este intervalo de tempo do ‘Sula’ para o Pan, eu e meu treinador trabalhamos duro exatamente para chegar a um grande resultado. E, com a motivação por estar em um país novo, diante de boas adversárias, tenho certeza que estarei com todo gás para dar o meu melhor! Prometo, estou indo em busca de uma medalha”, acentua Deisiane.

Cremilson Julião Rodrigues, técnico da atleta diz que as expectativas são as melhores para esta competição, uma vez que fizeram uma preparação bem de acordo. Segundo ele, Deisiane Teixeira está muito empolgada, e igualmente preparada. “Agora é só ela chegar lá e fazer o que já vinha fazendo. Embora o atleta tenha uma vida útil, digamos que curta, ela é uma menina muito nova ainda, foi campeã brasileira, vice no Sul-americano [com um gostinho de campeã]. Agora será diferente, esperamos que dê tudo certo e que tenhamos boas notícias”, acentua Cremilson.

O treinador explica que Deisiane estava liderando a prova na Colombia, até que no último lançamento a equatoriana a passou e, infelizmente sua comandada não conseguiu recuperar e assumir a ponta novamente. Ele ressalta que na verdade o que aconteceu por lá foi uma situação totalmente adversa, de organização, de competição.

Segundo o treinador, a reclamação foi geral. Ele chegou a conversar com o treinador responsável pelo pessoal de lançamento, de arremesso, que lhe falou que realmente foi uma situação atípica, onde não deixaram os atletas que estavam na prova com a Deisiane se aquecer direito. “Ele ainda fez um comentário que acabaram pagando o pato porque sofreram e tiveram que brigar para que a organização da competição fizesse uma prova de acordo. Depois disso, as outras categorias competiram de acordo”, lembra o treinador.