REDUÇÃO EM DADOS

Deinter-8 tem saldo positivo na criminalidade

Índice de Exposição a Crimes Violentos calcula média ponderada de casos letais, contra a dignidade sexual e patrimônio em comparativo entre 2017 e 2018

  • 11/06/2019 06:21
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

O Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) se destacou entre as regiões do Estado de São Paulo em que os índices criminais apresentaram reduções. Os números foram divulgados pelo Instituto Sou da Paz, na pesquisa denominada Índice de Exposição a Crimes Violentos, que faz referência dados catalogados no ano de 2018. O índice é calculado a partir da média ponderada de três subíndices: crimes letais (homicídio e latrocínio), crimes contra a dignidade sexual (estupro) e crimes contra o patrimônio (roubo – outros, roubo de veículo e roubo de carga). No documento, é feita comparação com o período anterior.

Entre 2017 e 2018, a área do Deinter-8 apresentou diminuição na quantidade de homicídios dolosos, números que caíram de 50 para 46 (-8%). De acordo com o departamento, um dos fatores que contribuem para a queda é o índice de esclarecimentos. “O trabalho investigativo e de inteligência da área do Deinter-8 a respeito de letalidade violenta é de 96% de elucidação e, no quadro geral dos crimes de autoria desconhecida em 2018, o percentual de solução dos crimes na região foi de 39,7%, deixando o Deinter-8 a primeira posição do Estado”, salienta.

Conforme o departamento policial, nos homicídios dolosos ocorridos na região, a maior parte foi em ambiente familiar em meio a discussões, ciúmes, relacionamentos eventuais, dívidas de drogas, embriaguez e desentendimento em bares. “Quanto à prevenção dos homicídios, não é muito fácil de ser atingida”, pontua. Na pesquisa, à frente do índice positivo da região estão Araçatuba (de 76 para 57, -25%), Sorocaba (de 220 para 167, -24,1%), Ribeirão Preto (de 246 para 212, -13,8%), Piracicaba (de 224 para 197, -12,1%) e Bauru (de 119 para 109, -8,4%). Ainda em crimes letais, em específico ao latrocínio, os números estaduais se mantiveram relativamente balanceados. No Deinter-8 teve aumento de três para quatro no período da pesquisa (+33,3%).

Já os roubos apresentaram redução de 411 para 330 (-19,7%). “O oeste paulista é a região mais segura do Estado de São Paulo e essa posição de destaque é oriunda de um trabalho ininterrupto e integrado das policiais Civil e Militar, que contam com o efetivo apoio de todo sistema de Justiça Criminal, seja pelo Ministério Público, seja pelo Poder Judiciário, trazendo tranquilidade e gerando respeito da comunidade a quem servem”, enfatiza.

Dignidade sexual

Sobre o crime de estupro não foram divulgados números por Deinter. No entanto, há balanço a nível estadual. No Estado de São Paulo cresceu de 11.089 para 11.950 (variação de 7,8%). Dados do interior do Estado mostram aumento de 6.330 para 6.875 (8,6%). Segundo a pesquisa, como o crime é particularmente sujeito à subnotificação, é possível que parte do aumento dos números seja fruto de maior denúncia por parte das vítimas. “Para mensurar qual foi o aumento real dos estupros, é preciso investir em pesquisas de vitimização”, considera o documento.

Saiba mais

O Instituto Sou da Paz acompanha as estatísticas criminais divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo desde 2012, a fim de contribuir para a melhor compreensão das atividades policiais e das dinâmicas criminais no Estado e regiões. Além dos dados regularmente divulgados pela pasta, são consideradas informações produzidas pelas Corregedorias das polícias Civil e Militar publicadas no Diário Oficial, e dados fornecidos pela Coordenadoria de Análise e Planejamento e pela Polícia Civil.