Marianna Oliveira/Rosa de Ouro Comunicação/Cedida - Tânia, presidente do sindicato, espera que novas vagas sejam preenchidas

Foto: Marianna Oliveira/Rosa de Ouro Comunicação/Cedida - Tânia, presidente do sindicato, espera que novas vagas sejam preenchidas

Sinal vermelho

Déficit no efetivo da Polícia Federal preocupa sindicato

Nas delegacias descentralizadas do interior paulista, especificamente em Prudente, há 40 policiais federais em atuação

  • 05/01/2019 06:04
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Números oficiais divulgados pelo SINDPF-SP (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo) mostram que até dezembro deste ano, o efetivo no quadro da Polícia Federal no Brasil era de 10.875 policiais. Conforme a associação, a quantidade é “preocupante”, uma vez que tem observado uma diminuição cada vez maior no quadro de funcionários. No interior paulista, mais precisamente na delegacia descentralizada em Presidente Prudente, o sindicato constatou que 40 funcionários estão na ativa para a atuação em uma área que abrange 34 municípios. Tal número é considerado “muito baixo” diante do trabalho desempenhado na região, segundo afirma Tânia Prado, presidente do sindicato.

“O trabalho de um policial federal não se resume apenas em prender os infratores, vai muito além disso. Há os responsáveis por elaborar as operações, outros que atuam no setor de investigação e também na emissão de passaportes. Prudente atende uma região extensa, o que acaba dificultando a atuação das equipes”, pontua a representante. Diante dos números considerados “alarmantes”, espera que seja autorizada “com urgência” a ampliação das vagas do concurso em andamento, com aproveitamento de todos os candidatos que forem aprovados.

De acordo com a presidente, a medida é necessária para que a carência de policiais possa ser sanada o quanto antes, e tanto os profissionais quanto a população não sofram as consequências do déficit. “O descaso reflete na vida do policial que está na linha de frente, quando acumula plantões, operações e atividades cotidianas. Também é perceptível que isso afetou o trabalho de maneira geral, uma vez que a polícia poderia estar desempenhando mais operações e, ao mesmo tempo, poderia receber investimentos para modernizar e aperfeiçoar”, explica a representante do sindicato, que observa a frequência com que os governantes “limitam” as vagas no órgão.

“Falta de reconhecimento”

A explicação para atendimento às reivindicações, segundo Tânia, é a “falta de reconhecimento” da Polícia Federal no cenário nacional. “Mesmo diante das grandes operações que têm sido efetuadas em todo o país, é possível que não estejam tendo uma visão da importância do trabalho feito pelos policiais”, argumenta a presidente. Apesar do descontentamento, o sindicato ainda tem esperanças de que no próximo ano a situação possa ser resolvida, uma vez Sérgio Moro estará na liderança do Ministério da Justiça. “Enquanto juiz, ele tem um histórico relevante na atuação junto à Polícia Federal, e acreditamos que ele tenha uma visão ampla das necessidades do órgão”. 

De acordo com os números divulgados pelo sindicato, em 2018, somente em aposentadorias, o déficit do quadro nacional foi de 300 profissionais, entre eles, 52 delegados de polícia. Números coletados em janeiro do ano passado já apontavam para uma falta de 4.010 cargos no efetivo da Polícia Federal, sendo 628 delegados, 107 peritos criminais, 2.242 agentes, 917 escrivães e 116 papiloscopistas.

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa Polícia Federal e solicitou uma avaliação a respeito do déficit de funcionários do órgão. Por meio de nota, informou apenas que, para fins de reforço do quadro de policiais, “há um concurso em andamento para o preenchimento de 500 vagas, nos cargos de agente de Polícia Federal, delegado, escrivão, papiloscopista e perito criminal federal”.

SAIBA MAIS

Na Superintendência de São Paulo-Capital, que abrange 40 municípios, atualmente, o efetivo total é de 551 policiais, dos quais 112 são delegados. Os efetivos nas chamadas delegacias descentralizadas paulistas são igualmente reduzidos, como em Araçatuba, com 38 policiais federais; Bauru, 54; Campinas, 124; Piracicaba, 35; Ribeirão Preto, 62; São José do Rio Preto, 59; São José dos Campos, 53; Sorocaba, 67; e Santos, 107. Em algumas delegacias, o efetivo é ainda menor, como em São Sebastião, com 18 policiais federais, Cruzeiro, 22, e Jales, 23.

NÚMEROS

EFETIVO DA POLÍCIA FEDERAL

O déficit no efetivo do quadro da Polícia Federal tem preocupado o SINDPF (Sindicato dos Delegados de Polícia Federal), que espera mudanças no próximo ano.

10.875

é a quantidade atual de policiais federais em nível nacional

40

é o total referente ao efetivo de funcionários em Prudente

34

municípios são abrangidos pela Delegacia da Polícia Federal de Prudente