COTIDIANO

De nada adiantam mudanças, se os motoristas continuam imprudentes

  • 11/04/2019 04:00

Até o final deste mês, Presidente Prudente deverá contar com a instalação de sete temporizadores acoplados a semáforos. Esta afirmação foi anunciada nesta semana pela Semav (Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública), que já implantou cinco temporizadores, sendo que alguns deles já estão em funcionamento. Como noticiado na edição de ontem deste diário, os locais foram pensados de forma estratégica em pontos de maiores fluxos de veículos no município. Apesar da novidade, que já era algo solicitado pela sociedade, é importante levar em conta que o comportamento do motorista no trânsito também precisa ser repensado.

Diante da correria do dia a dia, é comum que muitos deles ainda demonstrem infrações nas principais vias de Prudente, em especial, nos horários de pico. São nesses momentos que o semáforo acaba se transformando em apenas um acessório nas esquinas. Na edição de ontem, a especialista em trânsito Luciane Napolitano afirmou que os temporizadores serão uma oportunidade para que os motoristas se organizem melhor no trânsito. Mas a questão que fica em aberto é: será que realmente eles respeitarão o tempo cronometrado? Talvez a impaciência será ainda maior, uma vez que na pressa em atravessar, acabarão se arriscando em velocidades acima do permitido.

E isso só pode ser resolvido por meio da educação no trânsito. Mensalmente, divulgamos os números referentes a acidentes dentro e fora do perímetro urbano de Prudente e, conforme especialistas consultados pela reportagem nos últimos meses, a reeducação precisa ser levada em conta. Mesmo que medidas para melhorias sejam planejadas e implantadas para resolver problemas de mobilidade no fluxo de veículos, sem a conscientização nada poderá ser solucionado. Ao que parece, a impaciência de quem está na condução do volante às vezes é mais presente, ao mesmo tempo em que as buzinadas a cada esquina também demonstram a intolerância sobre a ação dos infratores que não respeitam a legislação vigente.