Comércio Data comemorativa movimenta lojas de brinquedos

 12/10/2017  - IVE CAROLINE - Da Reportagem Local

A A A

Neste Dia das Crianças, data tradicionalmente relacionada à alegria, a maioria dos consumidores deixou para comprar os presentes dos pequeninos na mesma semana da data comemorativa, em Presidente Prudente. O sopro de ânimo ao comércio, de acordo com a gerente da loja Pirlimpimpim, Raissa Oliveira, começou desde o dia 2 de outubro, porém, a ênfase da procura se deu durante o horário comercial de ontem, véspera do feriado nacional.

“Até o fim de setembro, o mercado não estava conforme esperávamos, porém, a reação se deu logo no começo deste mês. Esperamos que as vendas sejam maiores que no ano passado, já que com a crise muitos pais deixam de viajar e fazer outros lazeres, e compensam isso com os presentes para as crianças. A expectativa é que o aumento seja superior a 3% ao se comparar com o último ano”, conta a gerente.

Por falar em crise, a prudentina Delaine Cristina dos Santos, 33 anos, resolveu antecipar o presente da filha e encontrou uma melhor economia comprando produtos de outra maneira: pela internet. Segundo a auxiliar administrativa, o desejo antecipado da filha por um tablet a fez pesquisar os valores no comércio e na plataforma digital, e o custo do produto online foi mais válido.

“Depois de procurar em algumas lojas e comparar com os preços da internet, eu vi que economizaria muito mais comprando online e assim o fiz. É preciso que a gente também saiba pesquisar, analisar e buscar as melhores opções de compra”, conta Delaine.

Já a nutricionista Cassia Caroline Pereira da Silva deixou para comprar o presente do filho dois dias antes da data comemorativa. A prudentina atendeu ao pedido do pequeno e foi atrás de um trator de brinquedo, e se surpreendeu com a movimentação nas lojas da cidade. “Eu deixei para comprar o presente em cima da hora, pois ele fez aniversário recentemente e ganhou vários brinquedos. Mas, fiquei surpresa com a movimentação no comércio infantil da cidade. Acredito que, assim como eu, a maioria das pessoas acaba deixando para a última hora”, conta Cassia.

Sônia Maria Malesso Marangoni Montes também decidiu comprar o presente para a neta às vésperas do feriado. Apesar de achar os preços dos brinquedos elevados e que a compra de roupas talvez fosse mais econômica, a prudentina priorizou a diversão ao escolher o mimo da pequena. “O brasileiro tem essa fama de deixar as coisas para a última hora e eu não fui diferente. Talvez, se eu tivesse comprado antecipadamente, conseguiria comprar produtos com mais descontos e encontrar lugares com preços inferiores, mas o importante é fazer a alegria dos pequenos para que eles aproveitem esse dia com muita alegria”, comenta.

Comentário