COTIDIANO

Criativos, traficantes de drogas tentam burlar operações policiais

  • 26/07/2019 04:16

O tráfico de drogas está entre os serviços que mais movimentam a economia no mundo do crime. A nível nacional, o crescimento do comércio tem sido tamanho que os planos para combatê-lo acabaram dividindo espaço com as estratégias dos próprios traficantes. Eles estão cada vez mais espertos e convencidos em ludibriar as polícias, colocando “as mulas” em jogo para que transportem os entorpecentes camuflados de diferentes maneiras. Alimentos, carga de helicópteros, para-choques e estepes de carros, fundos falsos de veículos. Toda essa criatividade serve de alimento para que as forças policiais se mantenham atualizadas e não caiam nos disfarces dos criminosos.

Recentemente, na região de Presidente Prudente, conhecida como a rota do tráfico por fazer fronteira com estados onde é constante o fluxo de drogas, operações das polícias interceptaram grandes apreensões de entorpecentes. Os flagrantes contribuem para que os setores de investigações desmantelem organizações criminosas e cheguem aos “chefões”. A audácia dos traficantes impressiona. Ontem, foi apreendido um ônibus de transporte de trabalhadores rurais com mais de uma tonelada de maconha, entre Pirapozinho e Mirante do Paranapanema. Como constatado pela Polícia Militar Rodoviária, o veículo era de São Paulo, mas teve o emplacamento trocado para Presidente Prudente a fim de não levantar suspeitas.

Porém, os militares conseguiram identificar que no teto falso do coletivo havia entorpecentes armazenados. Outro fato recente que também chamou a atenção foi a localização de um helicóptero avaliado em R$ 4 milhões, que transportava carga de meia tonelada de cocaína. A aeronave estava em um canavial em Prudente, e foi interceptada pela Polícia Federal. Na época, descobriu-se que o deslocamento aéreo era feito em voos baixos, um afronte para os que fiscalizam as vias aéreas.

Essas e outras apreensões mostram que, apesar da criatividade dos traficantes em burlar a fiscalização, as polícias estão cada vez mais atentas para coibirem o tráfico de drogas. A eficiência das investigações garantem as prisões dos traficantes, no entanto, cabe destacar que quando um é preso, outros assumem o comércio. É fato que a traficância não terá fim, uma vez que é uma ação que já está fora do controle de qualquer autoridade. Mas, é preciso reconhecer que o combate está sendo feito e as polícias mostrando seus papéis para a garantia da segurança pública.