Crianças participam de aula de beisebol no Sesc

ARREMESSO E REBATIDA Pelo menos 20 pequenos ocuparam o Bosque do local e poucas delas já haviam tido contato com a modalidade

JULHIA MARQUETI - Especial para O Imparcial • 07/02/2018 12:58:20

Com indicação livre para todas as idades, quem marcou presença na tarde de ontem na aula aberta de beisebol no Sesc Thermas, de Presidente Prudente, foram as crianças. Com muita brincadeira, mas também assunto sério, instrutores físico-esportistas da entidade passaram ensinamentos básicos no primeiro dia da atividade, que integra a programação do Sesc Verão. A vivência continua a ser apresentada amanhã, das 14h às 18h, novamente no Sesc.

Cerca de 20 crianças ocuparam o Bosque do local e poucas delas já haviam tido contato com a modalidade. Por este motivo, a vivência começou a ser dada deste os primeiros conceitos e ensinamentos básicos do esporte. “Poucas tiveram acesso, então iniciamos bem do começo mesmo. Coisas básicas como arremessar, segurar bolinha com a luva, para terem este primeiro contato com o esporte”, conta quem comandou a atividade, Leonardo Orlandi. Após os ensinamentos, as luvas foram colocadas em cada participante e, depois, os mesmos foram separam em duplas e trocaram passes de bola com as mãos.

De acordo com o instrutor, a primeira experiência sempre apresenta um pouco de dificuldade para o lado dos menores. “Eles têm dificuldades por nunca terem tido contato, mas estão sempre abertos a aprender. Essa é a parte boa”, relata.

Para a próxima aula, que ocorre amanhã, as instruções já serão mais elevadas de acordo com o que foi passado no primeiro dia. “Na próxima aula vamos aprofundar um pouquinho, fazendo alguns jogos relacionados ao beisebol”, conta Leonardo.

Para Flávio Berssan, a tarde de ensinamentos foi proveitosa. “Achei uma vivência bem legal, educativa, com bastante coisa para se divertir”, afirma. Com presença garantida na próxima aula, Flavinho não esconde as dificuldades do primeiro contato com o esporte. “Algumas coisas são difíceis sim, mas vou voltar para aprender mais”, enfatiza.

Mesmo já tendo contato com a modalidade, Alice dos Reis, de 7 anos, diz que ainda tem dificuldades com a luva, grandes para o tamanho de sua mão. Além do esporte, o lugar também acabou chamando a atenção. “É um lugar bonito e esportivo, que as crianças conseguem brincar bastante e conseguem fazer exercícios também”, afirma a garota.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste