PRAZO NO FIM

Criadores devem avisar sobre vacinação de animais

Campanha contra a febre aftosa em bovídeos (bovinos e bubalinos) encerrou no dia 31 e quem não fizer a comunicação estará sujeito a multas previstas por lei

  • 06/06/2019 05:19
  • Da Redação

Os criadores de bovídeos (bovinos e bubalinos) devem se organizar para comunicar até amanhã a vacinação realizada durante a campanha contra a febre aftosa, que ocorreu entre os dias 1º e 31 de maio. Conforme a Coordenadoria de Defesa Agropecuária, a vacinação é obrigatória e aquele que não a fizer está sujeito a multas. Na região de Presidente Prudente, a estimativa dos três EDRs (Escritórios de Desenvolvimento Rural): Dracena, Prudente e Presidente Venceslau, era a de vacinar 1.742.297 bovídeos.

Para este ano, a dose da vacina da campanha, conforme noticiado por este diário, foi reduzida de cinco para dois mililitros, o que prometia trazer resultados favoráveis ao bem-estar dos animais. Para isso, estimativa na região era a de: 298.674 bovídeos vacinados no EDR de Dracena, além de 693.333 no de Prudente e 750.290 bovinos e bubalinos de todas as idades em Venceslau, a maior quantidade das três.

Sobre a mudança nas doses, conforme noticiado, a coordenadoria afirmou que um dos principais objetivos na alteração da vacina era o de menor volume de óleo mineral, que objetivava causar consequente redução de reações alérgicas nos animais.

Por fim, vale destacar que a vacinação era obrigatória, já que, conforme a coordenadoria, deixar de fazê-la e de comunicá-la sujeita o criador a multas de cinco Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), com soma de R$ 132,65 por cabeça, e três Ufesps, R$ 79,59, por cabeça que não for comunicada. O valor de cada Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é R$ 26,53.