Paulo Miguel - Péricles é responsável por montar o cardápio do café da manhã, almoço e jantar

Foto: Paulo Miguel - Péricles é responsável por montar o cardápio do café da manhã, almoço e jantar

HORA DO LANCHE

Cozinheiro dedica 25 anos da vida ao esporte

Entre uma competição e outra, os horários das refeições são momentos que permitem aos atletas relaxar, descontrair um pouco e compartilhar as frustrações e também as conquistas

  • 24/07/2019 07:41
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

A adrenalina é grande em qualquer competição esportiva. Por mais que a ansiedade seja trabalhada pela equipe técnica, dirigentes e até psicólogos não tem jeito, o coração vai a milhão quando se está para entrar em cena. E entre uma competição e outra, os horários das refeições são momentos que certamente permitem aos atletas relaxar, descontrair um pouco e compartilhar as frustrações e também as conquistas. Eis então que a equipe esportiva de Presidente Prudente que está em Assis disputando os 63º Jogos Regionais conta com um personagem muito importante: Péricles Batista de Menezes, de 61 anos, 25 deles dedicados ao preparo da alimentação de centenas de esportistas.

“Há 25 anos trabalho com alimentação pela Prefeitura. Por aí já sempre acompanhando Jogos Regionais, Municipais, Escolares, Joguinhos da Juventude, etc. E é uma grande satisfação poder fazer parte deste momento”, expõe o colaborador da delegação prudentina, que embarcou para Assis com 350 pessoas, entre dirigentes, técnicos, atletas e pessoal de apoio.

Ele é um dos responsáveis por montar o cardápio do café da manhã, almoço e jantar de todos os esportistas que estão alojados na EE (Escola estadual) Clybas Ferraz Pinto, em Assis. Péricles explica que cada delegação é responsável pela alimentação e alojamento dos seus atletas. Por dia estão sendo servidas em torno de 150 a 180 refeições.

“Sou pai e avô, dentro do alojamento existem regras: horário de silêncio e de repouso, pois atletas precisam competir logo cedo. As vezes tem um ou outro que vai competir só a tarde e quer ficar acordado um pouco mais, aí é hora de entrar naquela de pai mesmo e impor as regras. Todos esses anos, o que posso dizer é que é gratificante ver atleta entrar, se formar, ir embora para outros lugares. Depois de dez anos a gente encontra novamente. Atletas que hoje são técnicos. Gosto do que faço”, enfatiza Péricles, que é pai de Péricles Júnior, técnico de handebol.