MERCADO DE TRABALHO

Contratações apresentam queda de 22,13% em janeiro

Balcão de Empregos da Sedepp aponta que empregadores aguardam ajustes políticos antes de ofertar novas vagas, enquanto Sert destaca falta de qualificação como gargalo

José Reis - Interessados buscam serviços de apoio para conseguir encaminhamentos José Reis - Interessados buscam serviços de apoio para conseguir encaminhamentos

Em Presidente Prudente, o total de contratações intermediadas por serviços de apoio ao trabalhador registrou queda de 22,13% no comparativo entre o primeiro mês do ano e o mesmo período de 2018, passando de 375 colocações para 292. O levantamento considera os dados disponibilizados pela Sert (Secretaria Estadual de Emprego e Relações de Trabalho) e Balcão de Empregos da Sedepp (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico). No caso da pasta estadual, a quantidade de admissões contabilizadas teve um recuo de 80,85%, passando de 47 para 9. Já em relação ao setor municipal, o número caiu de 328 para 283, o que corresponde a uma baixa de 13,71%.

De acordo com a coordenadora do balcão, Edileusa Alves Palin, um dos fatores que podem justificar este cenário de retração é o menor número de vagas ofertadas pelas empresas, que ainda aguardam ajustes políticos antes de ampliar o quadro de profissionais. Em janeiro do ano passado, eram oferecidas na unidade 311 oportunidades, ao passo que, neste ano, foram anunciadas 205. Ao fazer contato com os empregadores para tentar aumentar a lista, Edileusa percebeu que grande parte deles espera resoluções em relação à reforma da Previdência Social. “Caso as novas medidas econômicas sejam favoráveis às empresas, certamente disponibilizarão mais vagas”, comenta.

No consolidado do Sine (Sistema Nacional de Emprego), por outro lado, a quantidade de vagas foi maior em 2019. Tanto que conseguiu encaminhar para entrevistas de emprego 302 pessoas, ao passo que, no ano passado, foram 16. Conforme a Sert, o principal gargalo ainda é a qualificação, uma vez que as empresas estão cada vez mais exigentes. Ocupações que antes demandavam apenas o ensino fundamental, atualmente já exigem o médio. Nesse sentido, a pasta orienta que o trabalhador busque sempre se aprimorar, procurando o EJA (Educação de Jovens Adultos), se for o caso; cursos técnicos ou de aperfeiçoamento; ensino superior, se já houver o ensino médio; pós ou especializações, se já graduado; e cursos de línguas e informática.

Exigências atrapalham

O desempregado Vanderlei da Silva Santos, 33 anos, está há dois anos sem emprego e, na busca por uma colocação, acorda todos os dias cedo, monta em sua bicicleta e percorre a cidade entregando currículos. Embora sobreviva de bicos, quer um trabalho formal para conquistar a sonhada estabilidade e ter uma renda fixa. “Estou determinado. O problema é que as empresas colocam muitos pré-requisitos, sobretudo tempo de experiência, o que prejudica os trabalhadores”, avalia.

Esta também é a queixa do desempregado Rafael Alves de Freitas, 30 anos, que lamenta esse tipo de exigência. “Acabei de ir a uma empresa que estava contratando pessoas com mais experiência, o que é contraditório, porque precisamos justamente de uma chance de trabalho para conseguir a experiência que tanto pedem”, pondera. Ele calcula já ter entregue mais de 100 currículos no município e, apesar de ter preferência pela área de vigilância, não está descartando nenhuma oportunidade. “O que aparecer já é bem-vindo e servirá para eu adquirir experiência em outros setores”, considera.

Onde buscar

Em Prudente, o Balcão de Empregos presta atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Marrey Junior, 250, no Jardim Bongiovani. A relação de vagas ofertadas é publicada diariamente no site da Prefeitura. Outro serviço é o PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), onde empregadores podem inclusive usar o espaço disponível para a realização de processos seletivos, ressalvando que a responsabilidade da seleção em si é toda da empresa. A unidade fica aberta das 8h às 12h e das 13h às 17h e está situada na Rua Rio Grande do Sul, 37, na Vila Marcondes.