Confirmação de febre chikungunya acende alerta

  • 22/02/2020 04:33
  • DA REDAÇÃO

A população já está cansada de saber: manter água parada aumenta os riscos de proliferação do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya. Mas não adianta chamar a atenção, sempre vai ter aquele morador que não se importa com os riscos e acaba deixando a vizinhança à mercê do mosquito. E isso reflete no aumento dos casos de doenças transmitidas, o que preocupa. Ainda mais, com a confirmação da febre chikungunya em Presidente Prudente.

Conforme a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), o registro é autóctone, ou seja, contraído no município. Isso quer dizer que o vírus está circulando pela cidade, mais especificamente, nas imediações de um condomínio fechado localizado na zona sul, área 1 (a quarta com maior incidência de confirmações de dengue neste ano; soma-se 32 casos). A região requer cuidado, o que aparentemente não está sendo tomado pelos moradores.

Agora, com o registro de chikungunya nas imediações, acende o alerta de que eliminar os focos de proliferação do mosquito Aedes não é brincadeira. Os órgãos públicos já estão fazendo o trabalho, que é o de prevenção e eliminação, seja por meio de campanhas ou orientações de porta em porta. Agora, cabe à comunidade mudar o mau hábito. Inclusive, o de acumular entulhos nos quintais. Se não faz a limpeza correta, é melhor evitar a bagunça.

E olha que manter quintal sujo resulta em multa. Em Prudente, se as equipes da VEM encontrarem terrenos com criadouros, aplicarão notificações e, se no prazo estipulado o problema não for sanado, farão autuações de, no mínimo, 200 UFMs (Unidades Fiscais do Município), que equivalem a aproximadamente R$ 770. A ideia é de que mexendo no bolso do cidadão surja alguma mudança, porém, não é isso que ocorre.

O ano só está começando e muitos registros das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti irão surgir – são enfermidades que podem matar, ou deixar sequelas, como o caso da chikungunya. Diante disso, cabe a cada cidadão parar para pensar o quão importante é a vida, que pode ser tirada pelo mau hábito de “criar mosquitos”. Portanto, seja consciente e faça a sua parte!