José Reis - Encontro reuniu a comunidade na Praça da Juventude e Longevidade, na Cohab, em Prudente

Foto: José Reis - Encontro reuniu a comunidade na Praça da Juventude e Longevidade, na Cohab, em Prudente

INTERVENÇÃO

Comunidade constrói mosaico com 700 mil tampas

Objetivo do trabalho era bater o recorde de 800 mil tampinhas plásticas na execução da atividade artística; mesmo ao fim da campanha, voluntários continuaram com doações

  • 20/04/2019 07:00
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Na manhã de ontem, o clima era de entusiasmo e alegria na Praça da Juventude e Longevidade Lucas Nalini Paschoalin, localizada na Cohab, em Presidente Prudente. A expectativa em construir o maior mosaico com tampinhas de garrafas pet reuniu pessoas de todas as idades que, mesmo embaixo do sol quente, não mediram esforços e trabalharam meticulosamente na criação da intervenção artística. Aos poucos, o desenho ia ganhando formas e gerando atenção daqueles que foram apenas para assistir. Até o começo da tarde, pouco mais de 700 mil tampinhas haviam sido contabilizadas, número distante do recorde mundial de construção do maior mosaico de tampas plásticas, que é 800 mil.

Apesar de não ter atingido a meta estabelecida até aquele momento, o artista prudentino, Itamar Xavier, acredita que a união de pessoas em prol ao evento foi o mais importante. “O público arrecadou muitas tampas e, mesmo com o final da campanha, trouxe muitas até mesmo no momento da montagem”, afirma. O artista explica que inicialmente o desenho possuía 200 metros quadrados e, ao se estender para fora do papel, alcançou 500 metros quadrados. Após a finalização, ficará exposto na Praça da Juventude e Longevidade até hoje pela manhã, quando será desmontado e poderá ser relembrado por meio de fotografias e vídeos. “Este tipo de obra de arte que produzimos é temporário, e fica registrado nas imagens”, considera.

A estudante Andressa Rampazzo Farias, 17 anos, aproveitou a manhã para contribuir na montagem da obra de arte. “É interessante o fato de recolher as tampinhas que são poluentes ao meio ambiente, e fazer algo diferente com elas”, afirma. Quem também esteve no local foi a secretária executiva, Silvia Cristina Alves, 46 anos que, mesmo com o calor, não deixou de participar do projeto. Esta foi a primeira vez que ela colaborou com evento deste porte, e não descarta outras oportunidades. “Foi bonito ver a união entre a comunidade”, comemora.

A integração entre os voluntários também foi apreciada pelo auxiliar de produção, Wagner Moreira, 32 anos. Ele conta que soube da intervenção artística pelos colegas da igreja que frequenta e também pelos dois filhos, que colaboraram para juntar as tampinhas em uma escola do município. Desta forma, decidiu reunir a família e os parceiros para “dar aquela mãozinha” na montagem do desenho.

Arrecadação

A campanha para arrecadação de tampas plásticas para serem utilizadas na obra, inicialmente, foi lançada em duas instituições de ensino de Presidente Prudente: Escola Municipal João Franco de Godoy, Navio, Escola Estadual Oracy Matricardi, bem como na ONG (organização não governamental) SOS Criança. Com a iniciativa, outros setores da sociedade acabaram se interessando pelo trabalho e, desta forma, também colaboraram com doações de tampinhas.

E este não foi o primeiro trabalho desenvolvido por Itamar Xavier em busca da conscientização ao meio ambiente. No ano passado, o projeto “Lixo que fala” produziu obras de arte com diversos tipos de lixos. Entre eles, o lixo eletrônico utilizado em mosaico. O mesmo desenho também foi produzido com tampas de plástico. “O objetivo é o de tirar o lixo de circulação, e dar a ele um destino adequado. Além disso, procuramos produzir obras de arte por meio deste material”, comemora Itamar.