Weverson Nascimento - Ana Carolina comenta que iniciativa fortalece o trabalho realizado pelo lar

Foto: Weverson Nascimento - Ana Carolina comenta que iniciativa fortalece o trabalho realizado pelo lar

APADRINHAMENTO AFETIVO

Com projeto, resultados serão potencializados

  • 26/02/2020 04:04
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Duas instituições de Presidente Prudente que fazem o trabalho do apadrinhamento afetivo foram selecionadas pelo Instituo Fazendo História, da capital paulista, para receberem o projeto que traz uma nova metodologia e visa potencializar a ação semelhante que já ocorre no município. Para as instituições, esta é mais do que uma oportunidade, já que se trata de garantir o bem-estar e a qualidade de vida dos adolescentes e jovens envolvidos.

De acordo com a psicóloga da Sociedade Civil Lar dos Meninos, Ana Carolina Almodova, a chegada do projeto estima contemplar ao menos 25 crianças e adolescente em situação de acolhimento. A unidade, atualmente, tem capacidade para 35 acolhimentos e trabalha com a sua capacidade máxima. Para ela, estar em parceria com o instituto para a implementação e desenvolvimento do projeto enriquece e fortalece o trabalho realizado e que visa oportunizar a crianças e adolescentes com “remotas perspectivas” de adoção e reintegração familiar.

A psicóloga expõe que o apadrinhamento tem grande impacto na vida daqueles que são beneficiados, já que há a finalidade de ressignificar a vida de crianças e adolescentes através do convívio saudável com pessoas dispostas a doarem um pouco do seu tempo, amor e atenção. As expectativas da instituição são as melhores e envolvem somar esforços com a comunidade para a mobilização de um grande contingente de pessoas dispostas a conhecer a iniciativa.

Já para a psicóloga do Lar Santa Filomena, Lara Baccar Fonseca Casarotto, participar do projeto representa a esperança de, todos juntos, conseguir proteger integralmente as crianças e adolescentes acolhidas, proporcionando um tempo de acolhimento mais saudável e com possibilidade de desenvolvimento para o resto da vida. “Para os acolhidos representa a chance de encontrar um adulto de referência, que possa estar junto com ele para o resto da vida, possibilitando a ampliação de vínculos positivos”.

O lar conta com 41 acolhidos na instituição, entre zero e 18 anos, porém, apenas 15 acolhidos poderão ser inseridos no projeto, já que os outros estão em processo de reintegração com suas famílias de origem ou em processo de adoção. “A expectativa é poder garantir os direitos e proteção das crianças e adolescentes”, pontua.

NÚMEROS

25

menores serão contemplados com o projeto no Lar dos Meninos

35

menores é a capacidade de acolhimento da instituição

15

acolhidos serão beneficiados pela ação no Lar Santa Filomena

41

crianças e adolescentes são acolhidos na instituição