Com o vírus circulando em PP, sarampo exige cuidado redobrado

  • 26/09/2019 04:02

Desde o primeiro caso de sarampo confirmado em Presidente Prudente, no fim de agosto, a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) já tratava a situação como surto. De lá para cá, a doença, extremamente contagiosa, afetou mais pessoas. Ontem, o órgão confirmou mais cinco casos, totalizando dez catalogações – sendo sete autóctones, ou seja, contraídos no município, e três importados. O município ainda aguarda o resultado de outras 20 suspeitas.

Com o vírus circulando na cidade, a preocupação é redobrada. Pais estão em alerta, receosos por seus bebês e filhos pequenos. Com o cenário de surto, os postos de saúde da cidade estão convocando os responsáveis para vacinar as crianças a partir de 6 meses de vida com a chamada dose zero. Como pode ser visto na edição de hoje, em outubro e novembro estão previstas duas campanhas de vacinação contra o sarampo em Prudente.

Com notícias de outras cidades do Brasil informando o óbito de bebês em decorrência da doença, não se pode deixar de levar os pequenos para receber a dose. Lembrando que os jovens e adultos também devem manter a carteira de vacinação atualizada.

É difícil se conformar com a volta do sarampo. Em Prudente, por exemplo, não havia registros da doença há pelo menos 20 anos. Como explicar a falta de responsabilidade de pais que deixam de imunizar seus filhos? De nada adianta existir meios para manter essa e outras enfermidades longe, se a população não faz a sua parte.