Ausentes no pleito

Com 25% de abstenção, região supera índice nacional

Enquanto eram esperados 662.815 eleitores, cerca de 166 mil não compareceram às urnas no domingo; cenário é atribuído à “descrença no sistema político”

  • 09/10/2018 04:03
  • ANDRÉ ESTEVES - Da Redação

Dos 662.815 eleitores esperados na 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo, 166.059 não compareceram às urnas no domingo, o que corresponde a um índice de abstenção de 25%, maior do que em nível nacional, de 20,3%, revelam dados levantados junto ao sistema Divulga, atualizado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Os maiores números são observados em Presidente Prudente, onde 45.215 estiveram ausentes; Presidente Epitácio, com 9.477; e Dracena, com 8.644. Já os menores foram registrados em Pracinha, com 202; Ribeirão dos Índios, com 339; e São João do Pau D’Alho, com 403.

De acordo com o sociólogo Heitor Ribeiro, a falta de interesse da população em exercer o direito do voto está atribuída a sua descrença no atual sistema político. Ele aponta que as pessoas não se sentem representadas e, por isso, votam em branco ou nulo ou sequer deixam suas casas para tal. O estudioso argumenta que, nesse contexto, pode-se esperar um segundo turno com muito apelo dos dois candidatos – Jair Messias Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) – para tentar levar esses que se abstiveram aos locais de votação. “Como ambos têm altos índices de rejeição, provavelmente o total de nulos aumentará”, projeta.

Heitor desmistifica a ideia de que, ao se abster, uma pessoa perde o direito de cobrar a atuação dos representantes eleitos, uma vez que toda forma de manifestação pode ser vista como exercício de cidadania. “Teoricamente, a abstenção não anula sua participação social e direito à reivindicação”, enfatiza. No entanto, completa que muitos acabam não comparecendo para não ter a responsabilidade que os grupos têm jogado uns nos outros desde as últimas eleições. “É o tal do ‘a culpa não é minha’, mas, no fim, a culpa é de todos. Ou, ao menos, a consequência é para todos”, expõe.

“Não é ideal”

O presidente da UEPP (União de Entidades de Presidente Prudente e Região) – que promoveu a campanha “Vote Consciente” –, Marcos Antônio Carvalho Lucas, relata que a abstenção regional já foi maior em outros pleitos, embora “não seja ideal”. Assim como Heitor, ele pondera que o índice demonstra que mais eleitores se desinteressaram pelos rumos da região e do país. “Lamentamos ainda a não eleição de deputados federais residentes aqui, mas fizemos dois estaduais onde havia apenas um”, menciona o representante, em alusão a Ed Thomas (PSB) e Mauro Bragato (PSDB). Ademais, acrescenta que a entidade iniciou uma aproximação com os diversos postulantes que vieram buscar votos aqui, a fim de cobrar atuação e resultados.

Totais de abstenção e comparecimento às urnas na região

Municípios