Polícia Civil - Investigação aponta que quadrilha utiliza uniformes da Polícia Civil nos crimes

Foto: Polícia Civil - Investigação aponta que quadrilha utiliza uniformes da Polícia Civil nos crimes

DOIS IDENTIFICADOS

Civil investiga quadrilha acusada por cometer roubos em cidades da região

Investigação começou após dupla render três pessoas e roubar veículo na zona rural de Tarabai; um dos envolvidos foi preso e outro é considerado foragido

  • 03/08/2019 05:14
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

A Delegacia de Polícia Civil em Pirapozinho investiga uma quadrilha acusada por cometer roubos em diversas cidades da região. A identificação de dois dos investigados ocorreu após renderem vítimas e roubarem um veículo em Tarabai, há três semanas. Após o fato, foi solicitado mandado de prisão preventiva à dupla. Um foi preso na quinta-feira, no Paraná, e está na cadeia pública de Presidente Venceslau. O outro continua foragido. A investigação aponta que em demais assaltos os investigados utilizavam coletes com a identificação da Polícia Civil do Paraná, e são considerados “muito perigosos”.

De acordo com o delegado Rafael Guerreiro Galvão, coletes da polícia foram apreendidos no cumprimento de mandados. “É a quadrilha mais perigosa que age na região. Todos têm antecedentes criminais, já fugiram do sistema prisional, inclusive, mataram policiais”, afirma. Até o momento, suspeita-se que os envolvidos tenham cometido roubos em Estrela do Norte, Rancharia e Osvaldo Cruz. Porém, isso será confirmado na quarta-feira, quando os delegados regionais interrogarão o preso em Venceslau. Enquanto isso, diligências ainda são feitas para localizar o segundo suspeito.

O crime

O crime que originou a investigação ocorreu em 18 de julho, em Tarabai. Segundo a polícia, um representante comercial procurou a delegacia para registrar o boletim de ocorrência. Consta no documento que o homem fazia visita a uma propriedade rural próximo à Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425). Em dado momento, ele e os moradores avistaram dois rapazes se aproximando da entrada da propriedade. Um deles, segundo o relato, portava uma garrafa pet e solicitou água para que colocasse em um carro que havia apresentado problema.

No entanto, não foi visto veículo nas imediações. Foi então que um dos acusados sacou uma arma de fogo e anunciou o assalto. Em seguida, as vítimas foram levadas para dentro da casa onde ficaram ajoelhadas dentro do banheiro. Porém, o dono da casa conseguiu fugir e correu no sentido rodovia, o que assustou os bandidos. Segundo as vítimas, a dupla fugiu com o carro do representante comercial em direção ao Estado do Paraná.

Acerto de contas

Enquanto a ocorrência era elaborada, os policiais receberam a informação de que o automóvel roubado havia se envolvido em um acidente não muito distante do local do crime. Desta forma, forças policiais foram acionadas, mas não encontrou os ladrões. Contudo, a investigação conseguiu identificar os acusados e o delegado de polícia representou pela prisão temporária dos dois investigados.

Conforme a autoridade, um dos foragidos também está sendo procurado por demais criminosos. Na quinta-feira, em Astorga (PR), homens encapuzados surpreenderam o pai do suspeito que voltava da igreja. Refém dentro de casa, junto com a esposa e o neto, os bandidos perguntaram onde estaria o filho (foragido e envolvido nos crimes da região). Como não sabia responder, foi baleado e morto. “Ao que parece o crime ocorreu por acerto de contas por roubo de cigarros. São pessoas muito perigosas e envolvidas em muitos crimes”, salienta Galvão.