Weverson Nascimento - Circuito tem objetos espalhados e baixa iluminação, para simular ambiente de casa

Foto: Weverson Nascimento - Circuito tem objetos espalhados e baixa iluminação, para simular ambiente de casa

IDOSOS

Circuito simula obstáculos que ocasionam quedas

Ação do Centro de Referência tem como objetivo orientar sobre as alterações emocionais que um acidente causa na pessoa idosa e os prejuízos que desencadeiam

  • 26/06/2019 05:36
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Dando sequência à Semana de Prevenção de Queda de Idosos, o CRI (Centro de Referência do Idoso) Feliz Idade promove até sexta-feira um circuito lúdico que visa simular os obstáculos que podem causar quedas em idosos. No local, a disposição dos objetos é feita para promover a conscientização da queda ao visualizar as cenas e os riscos que podem ocorrer no ambiente domiciliar.

Segundo a enfermeira do CRI, Evelyn Vanessa Krimmer Pelegrino, de 37 anos, percebe-se que a maioria das quedas ocorre no próprio domicílio, então o circuito é para orientar quanto às consequências de um local não adequado. “Com a queda ele [o idoso] pode perder a autonomia, o que leva a uma dependência de outra pessoa ou familiar e, normalmente, estes familiares não estão preparados para cuidar deste idoso que antes era ativo. Além disso, uma possível queda pode ocasionar o risco de infecções diante das várias comorbidades e a própria fratura de ossos, ou seja, vários danos à pessoa”, afirma.

No circuito, as disposições dos objetos e a iluminação simulam o ambiente de uma casa. De acordo com a enfermeira, o escuro retrata a baixa visão que o idoso pode ter. “O idoso já tem uma perca da visão e, no ambiente domiciliar, muitas vezes tem televisores com fios cumpridos atravessando o caminho, brinquedos dos netos espalhados, além de objetos do dia a dia, como vassouras, móveis que se ele não vê, pode tropeçar e cair”. Para tanto, o recomendando segundo a enfermeira, é evitar tapetes e degraus, utilizar barras de apoio, não ter fios ultrapassando os espaços, ter uma maior iluminação nos ambientes e ao se levantar, aguardar por um tempo sentado, por que às vezes acontece a queda de pressão e, com isso, a tontura.

Público-alvo

A aposentada Maria Joaquina de Jesus Silva, de 82 anos, que passa por acompanhamento no CRI, considera que a medida é muito importante, porque acaba se esquecendo sobre as consequências de um ambiente fora dos padrões para sua idade. “Com o passar dos anos vamos esquecendo coisas simples que hoje, ao visualizar, posso lembrar e me alertar para que eu não faça em casa”, diz.

Em alusão ao Dia Mundial de Prevenção de Quedas de Idosos, o CRI Feliz Idade promove entre os dias 25 e 28 de junho, diversas ações que visam orientar sobre a prevenção de quedas em idosos. A programação tem como público-alvo as pessoas com mais de 60 anos, profissionais que trabalham com o grupo, além da comunidade em geral. A ação tem como objetivo reforçar a prevenção e orientar sobre as alterações emocionais que uma queda causa na pessoa idosa e os prejuízos que desencadeiam.

Serviço

O Centro de Referência Feliz Idade fica na Rua Ribeiro de Barros, 1347, Vila Dubus. Para mais informações o contato disponível é o (18) 3222-7700.