FUNDAÇÃO SEADE

Cidades da região se destacam pelo baixo índice de mortalidade

Estudo divulgado neste mês aponta que municípios regionais estão entre os que apresentaram os menores números de mortes por mil habitantes no Estado de São Paulo

  • 18/02/2020 04:01
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Municípios da 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo, que é a região de Presidente Prudente, estão entre as cidades com as menores taxas de mortalidade geral do Estado, por mil habitantes, conforme dados divulgados neste mês pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados). Os números mostram que a taxa estadual ficou em 6,8 óbitos por mil habitantes no ano de 2018 – dados mais recentes –, sendo que 12 cidades da região apresentaram taxas inferiores a isso, chegando, por exemplo, a 4,7, como é o caso de Tarabai. Por outro lado, há cidades que chegaram a 11,42 óbitos por mil habitantes na região.  

Mesmo com algumas cidades entre aquelas com as menores taxas, se analisada apenas a Região Administrativa de Presidente Prudente, o cenário é outro, já que de 16 regiões do Estado, a que fica no oeste paulista entra como a quinta maior taxa, com a média de 7,84 mortes por mil habitantes. Em nível de comparação, a maior média por região foi a de Araçatuba, no interior paulista, com 8,02, e a menor encontrada na Região Metropolitana de São Paulo, com 6,34 óbitos por mil habitantes.

Na 10ª Região Administrativa, as maiores taxas foram atribuídas aos seguintes municípios: Nova Guataporanga (11,42), Santa Mercedes (10,66) e Emilianópolis (10,45). Por outro lado, outros municípios se destacam pelas baixas taxas, como é o caso de Pracinha (4,83), Tarabai (4,77) e Mirante do Paranapanema com 4,71, menor taxa.

MUNICÍPIOS DESTACAM

FATORES POSITIVOS

Para o secretário de Administração de Mirante do Paranapanema, Vinícius Pinheiro, o cenário apresentado muito tem a ver com os investimentos constantes que são feitos ano a ano na cidade, bem como a estrutura oferecida, já que hoje a cidade conta com o AME Mirante (Ambulatório Médico de Especialidades), que conta com 14 especialidades, incluindo pediatria e neuropediatra, além de diversos tipos de procedimentos e exames. “Os atendimentos ambulatoriais possibilitam o diagnóstico precoce”. Além disso, mesmo Mirante do Paranapanema não contando com hospital, o município ampliou para dois médicos plantonistas 24 horas no pronto-atendimento.

Além do AME Mirante, foi inaugurado em agosto do ano passado o AME Mulher, um ambulatório municipal de especialidades voltado para a saúde feminina. No espaço, são disponibilizados os atendimentos de ginecologia e obstetrícia, acompanhamento pré-natal, ultrassonografia e todos os cuidados necessários para a gestação.

A diretora da Divisão Municipal de Saúde de Tarabai, Eliana Rodrigues, por sua vez, afirma ver com satisfação os números apresentados e atribui o bom resultado ao trabalho das equipes de saúde que são divididas em três unidades de ESF (Estratégia Saúde da Família), que contam, juntas, com aproximadamente 45 colaboradores. “Temos um atendimento 100% ESF e que aproxima o serviço prestado da população, já que fazemos reuniões, palestras, batemos de casa em casa para saber como estão as famílias e suas necessidades”, aponta. Um destes serviços é o acompanhamento de vacinas, para que elas estejam sempre em dia, e de doenças como a diabetes, para que o tratamento seja eficaz.

Menores taxas de óbitos por mil habitantes da região:

- Mirante do Paranapanema (4,71)

- Tarabai (4,77)

- Pracinha (4,83)

Fonte: Fundação Seade

Taxa de mortalidade geral na 10ª RA
Municípios Taxa de Mortalidade Geral (Por mil habitantes)
Adamantina 8,88
Alfredo Marcondes 9,69
Álvares Machado 7,72
Anhumas 7,4
Caiabu 6,34
Caiuá 6,74
Dracena 9,46
Emilianópolis 10,45
Estrela do Norte 6,39
Euclides da Cunha Paulista 8,51
Flora Rica 9,91
Flórida Paulista 7,18
Iepê 7,76
Indiana 6,48
Inúbia Paulista 8,07
Irapuru 9,03
Junqueirópolis 9,04
Lucélia 7,59
Marabá Paulista 5,5
Mariápolis 7,06
Martinópolis 8,43
Mirante do Paranapanema 4,71
Monte Castelo 10
Nantes 5,33
Narandiba 6,77
Nova Guataporanga 11,42
Osvaldo Cruz 8,78
Ouro Verde 7,59
Pacaembu 7,56
Panorama 7,3
Paulicéia 7,44
Piquerobi 7,07
Pirapozinho 7,3
Pracinha 4,83
Presidente Bernardes 10,07
Presidente Epitácio 7,3
Presidente Prudente 7,38
Presidente Venceslau 7,53
Rancharia 7,8
Regente Feijó 8,14
Ribeirão dos Índios 8,85
Rosana 6,13
Sagres 8,46
Salmourão 7,32
Sandovalina 5,11
Santa Mercedes 10,66
Santo Anastácio 8,87
Santo Expedito 10,21
São João do Pau d'Alho 9,98
Taciba 7,02
Tarabai 4,77
Teodoro Sampaio 6,26
Tupi Paulista 9,98
Fonte: Fundação Seade