Divulgação/Sérgio Sakate - 600 atletas de várias partes se aventuraram em quase 30 km em meio a natureza

Foto: Divulgação/Sérgio Sakate - 600 atletas de várias partes se aventuraram em quase 30 km em meio a natureza

NA RAÇA

Ciclista supera dificuldades e fatura o vice

Fabíola Freitas completou dez voltas no Mundial 24 horas Solo, prova com percurso de quase 30 km em estradas rurais, pedreira ativa, cachoeiras e mata nativa

  • 31/07/2019 08:01
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Na raça, superando limites e até uma queda após dormir em cima da sua bicicleta, a prudentina Fabíola Freitas foi vice-campeã na categoria 40 a 44 anos, com dez voltas completadas no Mundial 24 horas Solo Brasil Ride, realizado no último final de semana na cidade de Costa Rica (MS). A prova, com percurso de quase 30 km em estradas rurais, passando por uma pedreira ativa, cachoeiras, pontes e mata nativa, na capital de esportes de aventura, reuniu 600 atletas de várias partes do mundo, divididos em várias categorias. A largada em estilo “Le Mans” foi dada às 12h de sábado e os atletas tinham como objetivo completar o maior número de voltas durante as 24 horas. Com essa conquista, a Prefeitura de Costa Rica já garantiu a inscrição da prudentina para os sete dias de prova, pedalando na Ultra Brasil Ride, na Bahia (BA).

“Essa foi a quinta vez que participei do Brasil Ride 24 horas. Três delas em Botucatu, ano passado em Costa Rica mesmo. Em se tratando de Mundial realizado em nosso país, comecei a me preparar em janeiro, principalmente para surpresas que sempre aparecem, como sono, falta de atenção em alguns trechos perigosos, como subidas e descidas com pedras, cachoeiras. Neste ano meu corpo sentiu muito a exaustão, ao ponto de chegar a cair da bicicleta porque dormi em cima dela! Foi algo assim, terrivelmente assustador”, conta a ciclista.

Essa foi a maior dificuldade que Fabíola diz ter superado. Mas, na tenda de apoio, seu esposo e um amigo estavam ali se revezando para auxiliá-la desde a preparação de sua alimentação, toda a parte de mecânica e, principalmente, incentivando. “Outra dificuldade foi enfrentar o frio terrível com variáveis entre 36º a 9º durante a madrugada”, relata.

Conversar sobre alguma estratégia dentro da tenda também era tarefa complicada, tinha que falar muito baixo porque outros atletas estavam juntos. “Quando tive o episódio da queda, por exemplo, falei baixinho ao meu marido que eu estava literalmente caindo de sono, que dormi em cima da bicicleta. Cai, machuquei o meu joelho e precisei dormir pelo menos meia hora. Ele então disse: ‘Olha, você está a uma volta na frente da sua concorrente. Se você parar agora ela vai te alcançar’. E eu respondi que se eu continuasse com sono certamente iria me machucar”, ressalta a atleta do mountain bike patrocinada pelo Grupo Matsuda.

E foi o que aconteceu, a adversária ultrapassou Fabíola, que no restante das voltas teve que contar com o contato de seus apoiadores, que ficavam conversando com ela enquanto pedalava no perigoso trajeto. “Quando vamos a uma prova dessa primeiro precisamos nos divertir, depois não danificar o equipamento e manter a integridade física. Não exagerar”, pontua Fabíola.

Alimentação

De acordo com Fabíola, há dois anos ela tem orientação do nutricionista esportivo Rodolfo Zanin, que faz todo balanço das calorias que ela perde durante os treinos e precisa repor. Numa prova como essa, testes são feitos de toda a alimentação que vai levar, inclusive suplementos, para saber se não fará algum mal como uma dor de barriga, por exemplo.

“Como tenho intolerância a lactose ainda precisamos nos atentar a isso. Chega uma hora que ninguém aguenta mais comer o que leva e vai e compra chocolate. Eu não posso. Levamos muito carboidrato e proteína como sardinha em lata, atum, macarrão, pão, batata cozida, azeitonas, castanhas, frutas variadas, água, Gatorade”, expõe a ciclista, professora de spinning e personal na Atletic.

SAIBA MAIS

O Mundial de MBT 24 Horas Solo é realizado pela Roma Sports MKT (marca Brasil Ride), em parceria com a Prefeitura de Costa Rica e a Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul. A Wembo (World Endurance Mountain Bike Organization) é a detentora dos direitos do Mundial de 24h MTB, que já está em sua 17ª edição. Antes da competição no Brasil em 2019, a Escócia foi o país que recebeu o Mundial.