José Reis - Proposta é que área que abrigava prédio da Cati, incendiado em 2018, seja usada para estacionamento

Foto: José Reis - Proposta é que área que abrigava prédio da Cati, incendiado em 2018, seja usada para estacionamento

ESTACIONAMENTO

Câmara propõe uso de terreno para estacionamento

  • 09/05/2019 08:00
  • WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Durante sessão ordinária de segunda-feira, na Câmara Municipal de Presidente Prudente, o vereador Natanael Gonzaga da Santa Cruz (PSDB), autor do Requerimento 07965/17, tratou da falta de vagas de estacionamento destinadas aos usuários dos serviços do Poupatempo. Em nota, foi considerado que a referida ausência de espaços para este fim nas imediações do movimentado serviço público de referência regional, ocorre desde sua inauguração em 7 de dezembro de 2010.  

Na ocasião, foi apresentado à mesa para que seja oficializado ao deputado estadual Mauro Bragato (PSDB), para que interceda junto ao governador João Doria (PSDB), solicitando providências para a liberação da área onde estava instalada a antiga área da Cati (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), localizada na Avenida Brasil, 1.339, na Vila São Jorge; objetivando a construção de um estacionamento destinado ao público usuário dos serviços do Poupatempo.

Conforme noticiou este periódico, em maio de 2018, a administração municipal realizou a demolição da edificação, após um incêndio, e decisão acordada com o governo estadual. Na ocasião, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo enfatizou que a medida não altera a destinação da área, a qual continua na relação de imóveis do FII (Fundo de Investimento Imobiliário) do governo do Estado para ser alienada futuramente.

Em nota, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo informou que desde junho de 2017, a área não pertence à pasta e foi destinada para compor o FII, licitado em 30 de janeiro de 2018. A assessoria de imprensa de Bragato disse que, até o momento, não recebeu nenhum protocolo quanto à proposta da Câmara Municipal, mas que dará “total atenção e intermediará junto ao governo do Estado a viabilização do estacionamento”.

Proposta “Casa Rosa”

Durante a sessão ordinária, a professora Alba Lucena Fernandes Gandia (PTB), vereadora-autora do Requerimento 07965/17, apresentou aos vereadores que a concessão da instituição “Casa Rosa” no município é de grande importância e relevância, uma vez que vem ao encontro das políticas públicas voltadas ao atendimento integral das mulheres, pois poderá oferecer serviços públicos relacionados à saúde, como atendimentos ginecológico, nutricional, fonoaudiológico, cardiológico, dermatológico, bem como o fornecimento de orientações para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e planejamento familiar, entre outros, complementando assim, os serviços municipais de saúde. Foi solicitada à municipalidade informações sobre se há possibilidade de instalar a unidade no município.

Saiba maisAinda na sessão, além dos dois projetos, foram listados outros 32 requerimentos de providências e de informações. Na ocasião, os vereadores da 17ª Legislatura aprovaram três projetos.