EM SESSÃO

Câmara pede afastamento do prefeito de Mariápolis

Denúncia aponta gastos “repetitivos” e “excessivos” na compra de materiais de construção e itens relacionados a peças de veículos; defesa aguarda notificação formal

  • 06/09/2019 07:33
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Em sessão ordinária ocorrida na quarta-feira, a Câmara Municipal de Mariápolis instalou comissão processante e a decretação do imediato afastamento do prefeito Valdir Dantas de Figueiredo (DEM), por supostas irregularidades em compras efetivadas pelo Executivo. Conforme a casa de leis, destaca-se a aquisição de materiais de construção e itens relacionados a peças de veículos que, conforme denúncia, os gastos com os produtos estavam sendo feitos de maneira “repetitiva” e “excessiva”.

O relator da CEI (Comissão Especial de Inquérito), vereador Maciel Lourenço (PPS), afirma que, segundo a denúncia, os gastos teriam ocorrido entre janeiro de 2018 e maio de 2019. “Trabalhamos por pouco mais de 90 dias na apuração. Ouvimos servidores, secretário e solicitamos ao presidente da Câmara que fosse instaurada a comissão processante para averiguar os fatos mais profundamente”, afirma.

A solicitação foi acatada pelo presidente, que colocou a questão em plenário. Conforme o relator, a votação foi unânime (oito votos) pela instalação da comissão processante, e a decretação do imediato afastamento do prefeito Valdir Dantas de Figueiredo. “A comissão tem o prazo de cinco dias para notificar o prefeito. Estamos digitalizando os documentos para oficializar os atos a ele”, salienta Maciel.

A reportagem entrou em contato com o advogado do chefe do Executivo, Marcelo Agamenon Góes de Souza. A defesa disse que até ontem não teve acesso aos autos para tomar as providências, e que está no aguardo para que possa se manifestar a respeito.