CALAMIDADE PÚBLICA

  • 25/03/2020 03:27
  • Homéro Ferreira

O deputado Mauro Bragato (PSDB) irá presidir às 10h de amanhã reunião da CCJ (Comissão de Cidadania e Justiça) na Assembleia Legislativa que irá discutir projeto para decretar calamidade pública em todos os municípios paulistas.

PREFEITURA EXPLICA

Sobre a indignação manifestada pelo presidente da Câmara Municipal, Demerson Dias (PSB), com relação ao que entende como demora na compra de respiradores com R$ 100 mil obtidos junto ao deputado Ed Thomas (PSB), a Prefeitura tem explicações.

NORMAIS INVIOLÁVEIS

Em nota ao Plantão, que na edição anterior havia registrado a indignação do vereador, a Prefeitura esclarece que as compras no setor público são regidas pela Lei Nacional de Licitações, que estabelece normas invioláveis para aquisição de produtos e serviços.  

DEMANDA EXCEPCIONAL

O esclarecimento é de que a licitação pública está em andamento, sem ter encontrado empresas que forneçam os respiradores. Porém, sem entrar no mérito do tempo da liberação dos recursos, a nota diz que a demanda por respiradores tem sido excepcional.

TRÂMITE LICITATÓRIO

Outra informação é de que o Departamento de Compras, amparado em decretos do prefeito Nelson Bugalho (PSDB) sobre a Covid-19, solicitou parecer do jurídico para dispensar o trâmite licitatório e fazer a compra o mais urgente possível. 

MAIS DE 130 RESPIRADORES

A nota diz ainda que Prudente possui em suas unidades hospitalares 132 respiradores, de acordo com o CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde), órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

PROTEÇÃO AOS CIDADÃOS

Finalizando, a nota enviada ao Plantão diz que o comitê de contingenciamento, instituído por Bugalho, tem acompanhado diuturnamente a evolução da doença na cidade para subsidiar as decisões de enfrentamento à Covid-19 e proteger os cidadãos.

PARA ENTENDER MELHOR

Os R$ 100 mil buscados junto à bancada do PSB na Assembleia Legislativa estão disponíveis na Prefeitura desde fevereiro para compra de respiradores. Um para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Ana Jacinta e outro para a do Jardim Guanabara.

VETO É REJEITADO

Mais uma vez e isso tem ocorrido reiteradamente, os 13 vereadores rejeitaram veto do total do prefeito Bugalho a projeto da 17ª Legislatura. Desta vez o que isenta entidades sem fins lucrativos da cobrança total e anual da taxa de remoção de lixo.

SEM SINTONIA

A rejeição por unanimidade revela a coerência dos vereadores como autores da propositura, mas também que nem a liderança do prefeito e da bancada reduzida de três para único vereador do PSDB votou em sintonia com o chefe do Executivo.

COM SINTONIA

Nesta semana Bugalho esteve em conferência com o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) para dar e receber informações sobre as medidas adotadas para conter a Covid-19, mantendo a sintonia entre Prefeitura e Governo de São Paulo. 

CONTINUA FIRME

Dia desses o Plantão falou com Wellington Bozo (PSDB), que ocupou na presente legislatura o cargo de vereador na condição de suplente. Questionado se permanecerá no partido, respondeu que continua firme, mas que tem convites de outros partidos.

ÚLTIMAS DO AUTOR

Homéro Ferreira

Homéro Ferreira

Homéro Ferreira é formado em Direito e Comunicação Social, mestre em Educação e professor na Facopp (Faculdade de Comunicação Social) da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista).

PUBLICIDADE