Bombeiros: os verdadeiros heróis do cotidiano

  • 12/03/2020 04:38
  • DA REDAÇÃO

Poucos profissionais causam tanta admiração como os bombeiros. Não é à toa. Eles estão sempre a postos para colocar a própria vida em risco para salvar o próximo. Não medem esforços para ajudar quem precisa, combatem incêndios, adentram matas em chamas, se arriscam em mares e rios, tudo para livrar pessoas e animais de apuros. Reconhecidamente, eles são considerados os verdadeiros heróis do cotidiano, deixando qualquer superpoderoso dos quadrinhos no chinelo.

O Corpo de Bombeiros completou 140 anos de existência. A corporação foi criada em 1880, após um incêndio destruir a biblioteca da Faculdade de Direito e o arquivo do Convento de São Francisco, na capital. O episódio causou consternação e, em 10 de março, a Assembleia Legislativa provincial estabeleceu a Lei nº 6, autorizando o governo a organizar uma seção de bombeiros com 20 integrantes e a adquirir os equipamentos necessários ao cumprimento da missão.

De lá para cá, o crescimento da corporação foi exponencial. Sorte a nossa! Atualmente, o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo conta com um efetivo com mais de 8 mil homens e mulheres e tem o apoio de 2,4 mil viaturas. Em âmbito estadual, são 20 GBs (Grupamentos de Bombeiros): Presidente Prudente sedia o 14º GB. Na edição de ontem de O Imparcial, os leitores puderam conhecer um pouco mais da atuação desses heróis de farda.

Uma equipe de 12 bombeiros de Presidente Prudente esteve no litoral paulista auxiliando nas buscas às vítimas do deslizamento ocorrido na semana passada, decorrente da chuva que precipitou na madrugada de 3 de março. Durante o trabalho ininterrupto de 24 horas, a equipe da região conseguiu localizar dois corpos no Morro do Macaco Molhado, no Guarujá (SP), e voltou ao 14º GB com a sensação de “dever cumprido”.

Essa não foi a primeira vez que bombeiros de Prudente auxiliaram em cenários catastróficos. Há pouco mais de um ano, em fevereiro de 2019, eles também auxiliaram nas buscas por desaparecidos em Brumadinho (MG).

Ser bombeiro é uma vocação. É preciso carregar consigo um espírito altruísta, de verdadeiro amor ao próximo. A nós, “reles mortais”, cabe honrar e orar pela vida destes homens e mulheres que, cotidianamente, colocam suas próprias vidas em risco para salvar desconhecidos.