José Reis - Prefeito (centro) visitou o local e falou sobre transparência, economia e eficiência

Foto: José Reis - Prefeito (centro) visitou o local e falou sobre transparência, economia e eficiência

EM 45 DIAS

Barracão de 9,7 mil² deve unificar almoxarifados

Prédio fica localizado às margens da Avenida Manoel Goulart, em frente ao Cristo Redentor; decreto autoriza a implantação, após Legislativo recusar PL

  • 24/08/2019 04:00
  • THIAGO MORELLO - Da Reportagem Local

Em mais ou menos 45 dias, a Prefeitura de Presidente Prudente pretende iniciar a implantação do serviço de unificação de almoxarifados, local esse anteriormente intitulado como Almoxarifado Central. Pelo menos esse é o prazo estimado para que as obras no barracão de 9,7 mil m² (metros quadrados) terminem, e o processo de integração comece. A ideia, informada em entrevista exclusiva ao jornal O Imparcial em dezembro do ano passado, pelo prefeito Nelson Roberto Bugalho (PTB), é que a estrutura gere uma economia de aproximadamente R$ 5 milhões por ano ao erário.

Transparência. Economicidade. Eficiência. Esses são os três pilares que mobilizam o efetivo, como destaca o chefe do Executivo. Na tarde de ontem, Bugalho visitou o espaço, que fica localizado às margens da Avenida Manoel Goulart - em frente ao Cristo Redentor -, onde as obras foram iniciadas há mais ou menos duas semanas. “O objetivo é unificar todo o departamento de compra de todas as secretarias”, confirma.

Com isso, o prefeito garante que os três pilares citados ocorram. Isso porque, como explica o representante do Departamento de Compras e Licitações da municipalidade, Luiz Kalil, o novo serviço promoverá mais planejamento nos gastos e compras que precisam ser feitas. “Vamos supor que uma secretaria precise de folha de sulfite e outra também. Mas uma usa tal quantidade e dura dias e a outra usa mais e dura meses. Nós vamos planejar por semestre e realizar a compra do material de uma vez [em um só pregão], gerando assim menos trabalho, menos burocracia e mais controle financeiro”, pontua.

De acordo com o prefeito, hoje, as pastas de Educação e Saúde são as que mais geram gastos e também precisam de um espaço físico maior, em relação às demais secretarias. E por falar em gastos, ele não deixa de esclarecer que as obras no local não gera nenhum custo para o Executivo, uma vez que a reforma é feita pelo próprio proprietário do espaço. O prédio será alugado pelo valor aproximado de R$ 38 mil/mensal, mas que só começará a ser pago quando for entregue.

Transferência

No novo local, a novidade também vem com a transferência da Semob (Secretaria Municipal de Mobilidade e Cooperação em Segurança Pública), até então localizada no Parque do Povo, no cruzamento das avenidas Coronel José Soares Marcondes e 11 de Maio. Para Bugalho, isso trará melhor atendimento ao público, que precisa dos serviços da secretaria, uma vez que o local contará com mais guichês de atendimento e também estacionamento. “Mais acessibilidade”, completa. Ele também não descarta a possibilidade de transferir outros serviços para o prédio, posteriormente, pois há “espaço remanescente”.

Decreto

É valido lembrar que a instalação do serviço de unificação de almoxarifados foi possível após a publicação do Decreto 30.012/2019, em julho. E o documento foi elaborado depois que a Câmara Municipal recusou o PL (Projeto de Lei) 843/17, em junho, que tratava da criação. Na época, em meio à recusa, o prefeito disse: “Mas eu digo o seguinte, apesar disso, de não ter tido a colaboração de alguns vereadores, nós vamos criar do mesmo jeito”. O que foi feito.

Números

45

dias são estimados para a entrega do prédio

R$ 5 milhões

é a economia anual que deve ser gerada aos cofres públicos

9,7 mil m²

é o tamanho do local que receberá o serviço de unificação

30.012/2019

é o nº do decreto que dispõe da implantação do serviço