Época de férias

Bancos de sangue têm queda de 30% nas doações

Tanto unidade anexa à santa casa, como a do Hospital Regional, convocam doadores para suprir demanda de pacientes

SANDRA PRATA - Especial para O Imparcial • 05/01/2019 08:22:00

Foto: Arquivo - Bancos possuem meta mensal de bolsas de sangue para suprir demanda

Entre o fim e o começo do ano, os estoques de bolsas de sangue começam a apresentar os efeitos colaterais das festas e viagens: perdem volume de doações e registram quedas de até 30%. No Núcleo de Hemoterapia de Presidente Prudente anexo à Santa Casa de Misericórdia, por exemplo, a meta é abastecê-lo com 1.250 bolsas por mês para atender 45 cidades da região. Objetivo que nesse período “precisa de ainda mais colaboração da comunidade”, conforme a agente de captação de doadores da unidade, Aline Santos das Neves. No Banco de Sangue do HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo de Presidente Prudente, por sua vez, não é diferente. Segundo o responsável pelo local, José Antônio Nascimento Bressa, a meta é conseguir mil bolsas mensais. Para tanto, frisa ser necessário 34 doadores diários, número que chega à média de 22 em épocas como esta.

No entanto, de acordo com Aline, a população “surpreendeu” nos dias 24 e 31 de dezembro, quando o hemonúcleo decidiu abrir para coletar doações. “Tivemos até um número razoável de pessoas”, comenta. Porém, expõe que ainda está longe do ideal. “Já é comum do período essa queda, as pessoas viajam, acabam deixando para depois, por isso trabalhamos com campanhas de conscientização, incentivando a colaboração”, explana. Conforme ela, a cada bolsa doada até três vidas podem ser salvas. “É um ato de solidariedade com o próximo e importante, principalmente, para quem nunca doou”, diz.

José Antônio Bressa concorda e ressalta que na contramão das doações, a demanda costuma aumentar neste período. O motivo se dá pelo “grande fluxo e deslocamento de pessoas” que, às vezes, podem ocasionar acidentes. “A chance aumenta e, em alguns casos, a transfusão de sangue é essencial, não é algo que podemos substituir, tem casos que é questão de vida ou morte”, frisa. Por isso, denota se tratar de um desafio balancear a quantia de doações e a necessidade de bolsas. “Esse equilíbrio é um trabalho constante no nosso serviço”.

Por que doar?

“É um esforço mínimo para salvar vidas”, diz o doador João de Deus Souza Silva. Geógrafo aposentado, hoje tem 56 anos e a primeira vez que tomou a iniciativa foi aos 19. Porém, segundo explica, nem sempre teve “consciência da importância”, já que a justificativa para a primeira doação foi a folga no serviço fornecida pelo TG (Tiro de Guerra) na época. “Hoje entendo o quanto é importante para quem recebe, é uma satisfação enorme poder ajudar pessoas necessitadas”, expõe.

Mas existem jovens que já são conscientes desde cedo, como é o caso da estudante Ana Caroline Soares, 20 anos. Ela conta que já doou três vezes e “sempre teve vontade” de praticar o ato solidário. Conforme explica, é satisfatório saber que está apta e com a saúde em dia. “É um gesto de gratidão, estou ajudando uma vida”, relata. E tem estudante que está descobrindo agora a importância de doar. Angélica Caroline Lima, 20 anos, doou pela primeira vez ao acompanhar uma amiga e agora gostaria de repetir o ato, porém, está impossibilitada devido ao baixo peso. “A maioria da população é jovem, então, é importante que exista essa preocupação, é uma experiência muito boa”, ressalta.

SERVIÇO

O Núcleo de Hemoterapia de Presidente Prudente anexo à Santa Casa de Misericórdia fica localizado na Rua Wenceslau Braz, 5 – Vila Euclides. Os telefones para contato são 3223-3511 e 3223-4490. Quanto ao funcionamento é de segunda, terça, quarta e sexta-feira, das 8h às 17h. Na quinta-feira, das 8h às 19h, e aos sábados, das 7h às 11h. Já o Banco de Sangue do HR funciona todos os dias, das 7h às 17h. O hospital fica localizado na Rua José Bongiovani, 1.297 – Cidade Universitária. Telefone para contato é 3229-1500.

NÃO PODEM DOAR SANGUE

- Indivíduos que já tiveram malária, sífilis e hepatites B ou C

- Hemofílico;

- Portadores de doença de Chagas;

- Pessoas com comportamento de risco para doenças transmissíveis pelo sangue;

- Aqueles que apresentam risco de ter sido exposto ao vírus da aids;

- Quem realizou cirurgias ou parto há seis meses;

- Cidadãos que tiveram gripe ou febre nos últimos sete dias;

- Diagnosticados com anemia;

- Portadores de doenças em geral;

- Quem ingeriu bebida alcoólica há 12 horas e/ou alimentos gordurosos 24 horas antes da doação.

Fonte: Site oficial do Hospital Regional

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste