Atletas dão orgulho, mas em troca, no mínimo, merecem ser valorizados

  • 21/09/2019 04:00

Há quem duvide do poder que o esporte tem em transformar vidas. Que o digam atletas que vivem no interior, uma vez que poucos são aqueles que investem em patrocínio. Mas que bom que existem esses poucos que entendem que, além de divulgar a sua marca, permitem que essas pessoas desenvolvam seus talentos e levem seus dons mundo adentro.

Presidente Prudente tem um celeiro de importantes atletas que merecem um olhar especial. Mas, não é só um olhar, fazer de conta que ajuda e ficar só em palavras para aparecer. É preciso iniciativa e colocar a mão no bolso ou no caixa porque eles precisam de uniforme, custear viagens, acomodação, se alimentarem e alimentarem sua família, na maioria das vezes. Enfim, os atletas que correm, nadam, jogam basquete, vôlei, badminton, etc, etc, etc., treinam duro por horas e horas. Passam fome, frio, se cansam não por brincadeira, por lazer e diversão, essas pessoas fazem isso como profissão.

Não basta dizer que tem orgulho desse ou daquele, quando vê uma notícia de que ele acabou de ganhar medalhas, troféus, bateu recordes por sua cidade ou país. Vejam só o nível de atletas que Prudente, por exemplo, tem. Na tarde de hoje, a partir das 17h45, canais pagos de TV transmitirão o UFC (Ultimate Fighting Championship) no México e no card preliminar tem a estreia da prudentina, Ariane “Sorriso” Carnelossi. Temos na cidade várias academias e projetos municipais também, cheia de atletas que treinam diversas lutas marciais olímpicas e que merecem o tal “olhar especial”.

A velocista paratleta, Jerusa Geber dos Santos, trouxe ouros dos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru, ao lado de seu guia, Gabriel Aparecido dos Santos Garcia. Ah, ela é cega total, viu? Rogério Júnior Xavier de Oliveira, do parabadminton do Sesi (Serviço Social da Indústria), trouxe a prata da mesma competição. A velocista Maria Victória Belo Sena foi convocada pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e vai competir no Mundial de Atletismo, em Doha, no Catar!

Existem muitos com potencial para o esporte. Eles precisam de incentivo, motivação e “valorização”! Parabéns aos que sabem a importância do patrocínio.