Cedida/Marcelo Costilho Jorge - Grupo Guayporé tem fila de espera de 80 jovens interessados

Foto: Cedida/Marcelo Costilho Jorge - Grupo Guayporé tem fila de espera de 80 jovens interessados

PROJETO DE VALORES

Atividades do escotismo potencializam habilidades de crianças e adolescentes

  • 24/03/2019 10:00
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Você certamente já viu um grupo de escoteiros, teve vontade de estar dentro daquele círculo que parece mesmo uma grande família e se perguntou sobre quais atividades eles desenvolvem, bem como o papel de cada um deles dentro da sociedade. Para o diretor presidente do Grupo Escoteiro Guayporé, Marcelo Costilho Jorge, não é difícil explicar o escotismo que, dentre outras definições, é um movimento educacional feito com jovens e para jovens, que conta com a colaboração do adulto e voluntário.

“Somos a maior organização educacional não formal e por isso cumprimos com um projeto educativo, quando seguimos um planejamento estratégico como foco no desenvolvimento dos nossos participantes”, salienta.

Ainda de acordo com Marcelo, quando uma criança ou jovem tem interesse em participar de um grupo de escoteiros, é necessário que os responsáveis se dirijam ao grupo e verifiquem a disponibilidade para a faixa de idade do participante. Segundo Costilho, são quatro as faixas-etárias disponíveis: 6,6 anos aos 10,5 considerados como lobinhos, dos 10,5 aos 14,5 chamados de escoteiros, 14,5 a 17,5 conhecidos como sênior e dos 17,5 aos 21 os pioneiros.

“Trabalhamos algumas áreas de desenvolvimento, como o físico, o cultural, intelectual, social e o espiritual. Frente aquilo que está sendo proposta para o período e idade adequada, essas competências são trabalhadas e potencializadas”. Sobre a importância, o diretor presidente lembra dos valores que são almejados para serem trabalhados, sendo a lealdade com um pensamento especial na pátria, família, convicções e entendimento religioso e da natureza, a igualdade, para mostrar que somos todos iguais, e a fraternidade, já que o grupo é considerado como uma família, com irmãos em todo o mundo na busca da paz.

“É perceptível essa mudança de comportamento dos participantes, pois o movimento tem mais de 100 anos e a pessoa aprende fazendo ações que liga a sociedade, a natureza e as relações básicas. A procura nos últimos anos tem crescido cada vez mais, hoje, por exemplo, temos uma fila de espera de 80 jovens somente no nosso grupo”, informa. Ainda sobre a importância, ele ressalta que muitas vezes são valores que “se perdem no caminho”, daí a necessidade de potenciar habilidades das crianças.

 

PERFIL

Foto: José Reis

- Nome: Enzo Morôni Antonucci Voltarelli

- Idade: 13 anos

- No escotismo: Desde 2015

 

Como foi que você ingressou no escotismo?

Ingressei no escotismo em 2015 e em 30 de maio daquele ano fiz a promessa como lobinho. Conquistei o distintivo maior do ramo lobo, o Cruzeiro do Sul, em junho de 2016 e em outubro do mesmo ano eu renovei minha promessa, agora no ramo escoteiro. Estou no Grupo Escoteiros Guayporé, de Presidente Prudente.

De onde surgiu o interesse para ficar no grupo?

Tudo começou quando fomos ao desfile do aniversário da cidade e meus pais viram o grupo e se interessaram. Depois disso, fomos visitar o grupo com uma amiga chamada Luise – hoje ela também está no escotismo. Chegando lá, meu pai viu que tinha alguns amigos em comum e que me incentivou a participar do movimento.

O que te motiva a estar e permanecer no grupo?

As novas amizades. Nas nossas atividades a gente aprende a fazer coisas na prática, com diversão, comprometimento e fazendo sempre o melhor possível. Pensamos em ajudar ao próximo em toda e qualquer ocasião, obedecendo a lei escoteira, cumprindo com os deveres para com Deus e a minha pátria.

Quais foram os maiores ensinamentos que teve durante esse período?

Ter mais responsabilidade. Como eu era tímido, foi muito bom para o meu comportamento participar das atividades. Quanto a ajudar ao próximo, eu também já fazia um trabalho de voluntariado na igreja, onde, assim como no escotismo, também nos preocupamos com o meio ambiente e a ajuda humanitária. O escotismo veio para agregar ainda mais na minha vida.

Quais são as atividades que você já desenvolveu a partir do escotismo e que fizeram a diferença na sua vida?

Foi através de algumas especialidades que conquistei distintivos e tomei gosto pela Libras, que é a língua dos sinais, e uma nova língua. Aprendi também primeiros socorros, que podemos ajudar as pessoas quando elas precisarem.

O que significa ser escoteiro para você?

É a continuação de um aprendizado da escola, mas de um modo divertido. Amo ser escoteiro!

 

DICA DE FILME

Foto: Divulgação

UP – Altas Aventuras

O filme não é novo, mas é um belo exemplo para a temática desde Mundo Jovem. A história do longa de setembro de 2009 gira em torno de um garoto escoteiro, que ama e protege a natureza, e que vê sua vida cruzada com a de um vendedor de balões de 78 anos e que está prestes a perder a casa que sempre viveu. Isso porque o terreno do imóvel é de interesse de um grande empresário e que deseja construir um edifício no local. Para evitar perder o bem que o lembra de sua amada esposa e já falecida, o idoso – em uma animação pra lá de divertida – enche milhares de balões na casa, que levanta voo com um convidado para lá de inesperado: o escoteiro de 8 anos e que tem muito a viver e ensinar com ele.