Foto: Marcio Oliveira, Obras expostas trazem expressões individuais de amor, carinho, religiosidade e fé; telas estão à venda a partir de R$ 100

Arte e superação Artistas especiais expõem 100 telas no Prudenshopping, até o dia 11 de novembro

 12/10/2017  - IVE CAROLINE - Da Reportagem Local

A A A

Não importam quais são as limitações que uma síndrome pode causar. Seja física ou mental, a arte nasce do corpo do artista e não de um membro específico, e os torna especiais não por suas deficiências, mas pela competência, talento e manifestação artística. Prova disto é a exposição “Arte e Superação”, que está disponível no piso superior do Prudenshopping de Presidente Prudente até o dia 11 de novembro, e reúne mais de 100 telas de pintores portadores da Síndrome de Down, espectro autismo, hiperatividade, paralisia cerebral e artrogripose múltiplas congênitas. O público pode acompanhar a mostra das 10h às 22h.

As obras têm temas e estilos variados. Em comum? Apenas o fato de terem sido feitas por artistas com deficiência, cujo objetivo é, de acordo com o professor Jorge José da Silva, desenvolvedor do projeto, “divulgar os trabalhos dos artistas especiais que hoje já são consagrados pelo belíssimo trabalho e dedicação que possuem, além de desenvolver o dom artístico e a inclusão dos artistas na sociedade”, ressalta.

Segundo Jorge, as telas em pintura acrílica trazem expressões individuais de amor, carinho, religiosidade e fé, entre outros temas, para que eles possam mostrar que eles são capazes de fazer da arte um meio de expressar o que sente e o que gostam.

“Todos têm potencial e mostram isso, mesmo com todas as limitações com as quais eles convivem. Este ano completamos dois anos de trabalhos e agradecemos a Deus por isso”, salienta o especialista em educação, que vem descobrindo talentos especiais em especiais.

Vale ressaltar que todas as telas estão à venda no valor de R$ 100 cada, e os lucros serão destinados ao artista e não ao projeto.

 

Todos têm potencial e mostram isso, mesmo com todas as limitações com as quais eles convivem

Jorge José da Silva,

professor

 

Incentivando

O Projeto Cor nasceu em 1º de outubro de 2015 com a proposta de desafiar as limitações que cada aluno leva até o psicopedagogo Jorge, por meio da arte e da pintura. Ele, que atua como especialista em todos os campos da deficiência, como autismo, paralisia cerebral, Síndrome de Retti, deficiência intelectual, entre outros, foi feliz com a iniciativa.

“Eu busco desenvolver o interesse e a capacidade que cada um pode mostrar, e também desafiar seu limite e eliminar o preconceito de que ser deficiente torna incapaz de fazer algo tão extraordinário, que é a pintura em telas. Não vejo o deficiente e sim uma pessoa que precisar ser estimulada e trabalhada, para que ela mesma possa acreditar que pode fazer algo e fazer a diferença”, salienta.

E acrescenta: “Nós devemos incentivar a inclusão da arte e do artista, e mostrar que não há diferença em nada, e sim a igualdade, seguindo o pensamento de que todos podem fazer algo . Este é um trabalho muito gratificante, pois me permite acompanhar o desenvolvimento de todos eles”, finaliza.

 

ARTISTAS

Adib Miguel Direne, 36 anos, Síndrome de Down

Ana Beatriz Andrade de Oliveira, 12 anos, autista

Denise Canziani Brambilla, 23 anos, Síndrome de Down

Gabriel Kenzo Nakaya, 20 anos, autista

Giovana Martinez Guilete, 14 anos, autista

Lucimara Emílio, 21 anos, paralisia cerebral

Marcelo Augusto Direne, 41 anos, hiperativo

Maria Rita de Oliveira Ribeiro, 15 anos, Síndrome de Dow

Patrick Ken Kanda, 19 anos, espectro autismo

Pedro Henrique Calil Trevisan, 34 anos, Síndrome de Down

Renan Cardoso Spolador, 24 anos, Síndrome de Down

Vitória Oliveira da Silva, 19 anos, artrogripose múltiplas congênitas

Zequinha Scalon, 34 anos, Síndrome de Down

 

Serviço

A visitação à exposição "Arte e Superação” é aberta ao público e poderá ser vista, de segunda a sábado, das 10h às 22h e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. Quem quiser conhecer, o Projeto Cor está situado na Rua Texas, 73, Jardim Paulistano em Presidente Prudente.

Comentário