Artigos da Copa do Mundo 2018 chegam às lojas

esporte

| JULHIA MARQUETI - Especial para O Imparcial

A cada dia que passa a Copa do Mundo da FIFA se aproxima mais. A chegada do álbum de figurinhas, no final de fevereiro, foi o primeiro item do evento esportivo que inicia no dia 1º de junho, que deu início a uma movimentação maior no comércio, como em bancas de jornais e revistas. Faltando um mês para o início do grande torneio, amantes do futebol já podem encontrar bandeiras, apitos, vuvuzelas e camisetas em lojas especializadas em esportes, entre outras, em Presidente Prudente.

Apesar da decoração ainda ser tímida no centro da cidade, a procura dos torcedores não é tanto assim. “A procura pelos produtos da Copa está interessante. Os torcedores parecem estar mais confiantes que nos anos anteriores. Até o meio de maio estaremos com bandeirinhas enfeitando, camisetas expostas. Vamos entrar no clima realmente”, afirma”, afirma Carlos Alberto Ederli, operador de caixa do Empório 1,99, loja onde até o momento, conta apenas com as vuvuzelas, que surgiram na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Guilherme Ferron, gerente da loja Ferron Sports, menciona que os objetos mais procurados têm sido as bandeiras e camisetas. “Já notamos uma procura não tão alta, mas que não é normal em relação às camisas do Brasil. Já temos certa experiência de Copa do Mundo, então acreditamos que neste mês isso vai aumentar muito”, acentua Guilherme.

Na loja especializada em produtos esportivos, ainda não se encontram as camisas oficiais de jogo, mas enquanto o objeto principal não chega, outras ganham a atenção dos amantes do futebol. “A camisa de treino, polo, de passeio já começaram a sair, apesar do foco principal ser a de jogo”, destaca. Para Guilherme, aqueles que respiram futebol, acabam deixando para a última hora para comprar os artigos da seleção. “Sempre esperamos que até a terceira rodada de jogos ainda estarão à procura. Alguns esperam ver como o time vai jogar, mas a febre mesmo pode acontecer daqui alguns dias só”, completa.

“As bandeiras do Brasil são bastante procuradas. As vendas vão aumentar porque o pessoal gosta, e por isso já adquirimos uma grande quantidade desse item”, conta Francine Aguiar, vendedora do Mega Lojão.

 

Verde e amarelo

Ao contrário das Copas passadas, neste ano não está acontecendo aquela procura por camisas de outras seleções tradicionais, o que era normal. Na Esporte Fino, as mais procuradas são de dois times que nem estão nesta edição do torneio. “Por incrível que pareça, se não procuram a do Brasil, buscam da Itália ou Nova Zelândia, que nem vão participar da Copa”, explica Renan Dourado, gerente de vendas da loja.

Conforme o gerente, a camisa de jogo ou outro item da coleção da seleção brasileira em si ainda não chegaram na loja, mas tudo o que é verde e amarelo está saindo mais que outra cor. “A coleção do Brasil em si só daqui 15 dias, mas chaveiros e canecas têm uma ótima procura e aceitação do público. As camisas vão fugir do modelo de jogo e estampar, por exemplo, todos os anos de conquistas do Brasil, sendo chamadas de Coleção Canarinho. Vai ser diferente do comum, o nosso público aceita essa ideia e a partir do momento que a grade da Copa chegar na loja, acreditamos que teremos um boom de vendas. Isso nos deixa ansiosos”, ressalta Renan.

 

“Já notamos uma procura não tão alta, mas que não é normal em relação às camisas do Brasil. Temos certa experiência em Copa do Mundo, então acreditamos que neste mês isso vai aumentar muito”

Guilerme Ferron

gerente de loja

 

Comente com o editor

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste